Postagens

QUASE POESIA, N. 105

VERMELHOS, VERMELHINHOS E VERMELHÕES

QUASE POESIA, n. 104

COMER TOMATE CRU

QUASE POESIA, N. 103

NOTAS, NOTINHAS E TEXTÕES

QUASE POESIA, N. 102

OLHAI OS DELÍRIOS DO CAMPO

DA SOLITÁRIA AFLIÇÃO HUMANA

QUASE POESIA, n. 101

QUASE POESIA, N. 100

QUASE POESIA, N. 99

QUASE POESIA, n. 98

QUASE POESIA, n. 97

QUASE POESIA, n. 96

RESUMINDO O ENTREVERO

QUASE POESIA, n. 95

QUASE POESIA, N. 94

QUASE POESIA, n. 93

QUASE POESIA, n. 92

QUASE POESIA, n. 91

APENAS UM CHILIQUE [DEPRE]CÍVICO

QUASE POESIA, n. 90

QUANDO A MASSA FECAL VAI PRA CABEÇA

QUASE POESIA, n. 89

QUASE POESIA, n. 88

APENAS UMA MULA NERVOSA

QUASE POESIA, s/n

REFLEXÕES CÁUSTICAS EM GOTAS

QUASE POESIA, n. 87

QUASE POESIA, N. 86

COLOCANDO LENHA NA FOGUEIRA

QUASE POESIA, N. 85

QUASE POESIA, N. 84