Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2013

Uma oração de Santa Tereza D'Ávila

Nada te perturbe.
Nada te espante.
Tudo passa.
A paciência tudo alcança.

Nada me perturbe.
Nada me espante.
A quem tem Deus nada falta.
Só Deus basta. Amém.

Os black blocs e a rebelião da irracionalidade

Por Cesar Ranquetat Júnior Revista Vila Nova
Há poucos dias, os jornais e redes de TV de todo o país noticiaram a covarde agressão sofrida por um coronel militar de São Paulo, perpetrada por integrantes do grupo Black Blocs. O coronel foi espancado por um bando de cerca de dez “manifestantes” e ainda golpeado com uma barra de ferro por um dos mascarados, quando da realização de mais um protesto organizado pelo Movimento Passe Livre, na capital paulista. Neste protesto, os  black blocs  ainda depredaram caixas eletrônicos e catracas, e tacaram fogo em um ônibus.
Tal modus operandi não é novidade. Este grupo vem se caracterizando pelo uso da violência e por atos de vandalismo nas manifestações que vêm ocorrendo pelo país. A depredação de lojas, bancos e do patrimônio público é uma tática de ação, uma estratégia de luta política dos black blocs.
Diante destes atos de violência e vandalismo que se avolumam, ficam no ar as seguintes questões: o que querem os black blocs? Qual o modelo de s…

A revolução abrangente

Por Olavo de Carvalho
Há dois traços essenciais do movimento revolucionário que seus opositores mal conseguem perceber, muito menos utilizar para combatê-lo eficazmente.
O primeiro é a recusa de fixar uma meta definida ou um prazo para alcançá-la. Isso permite que o movimento revolucionário absorva toda sorte de forças e tendências inconexas, unidas tão somente pelo ódio comum a um inimigo que permanece também vago e indefinido o bastante para deixar à liderança revolucionária o espaço livre para toda sorte de arranjos e acomodações oportunistas. Se você pergunta, por exemplo, em que é que a disseminação do homossexualismo pode contribuir para a estatização da economia, ou em que é que a islamização das massas pode contribuir para a disseminação do homossexualismo, a resposta, em ambos os casos é: em nada. No entanto essas três tendências estão irmanadas no combate e juntas contribuem para o fortalecimento do poder revolucionário. A elas somam-se o feminismo, o abortismo, o indigenis…

HAYEK, Friedrich. O CAMINHO DA SERVIDÃO.

O CENTRO PULSANTE DA VIDA

Comentário proferido na rádio Cultura AM em 30 de outubro de 2013.

MISES, Ludwig von. AS SEIS LIÇÕES.

A MULTIDÃO QUE NÃO SE CALA

Escrevinhação n. 1061, redigida no dia 29 de outubro de 2013, dia de São Narciso, de Santa Ermelinda e da Beata Chiara Luce Badano.
Por Dartagnan da Silva Zanela

Silêncio, solidão e santidade. Eis aí três pedras fundamentais para dignificação da alma humana. Sem elas, lamentavelmente, o edifício do caráter desmorona, cedo ou tarde. Não é pessimismo, nem fatalismo. É realismo puro e simples.
Explico-me: o silêncio é essencial para a manutenção de nossa vida interior. Silêncio esse que é diariamente vilipendiado pela barulhenta e caótica sociedade moderna. Pior! Acostumamo-nos com a presença inquietante da balburdia da sociedade em nosso coração, esquecendo-nos do silêncio que tanto nos auxilia no cultivo dum diálogo interior e bem como na audiência dos conselhos de nossa consciência individual.
Sim, exteriormente, a agitação dá aquela sensação epidérmica de liberdade e auto-afirmação, entretanto, ela escraviza nosso interior por instigar-nos a estarmos o tempo todo ou a falar algo sem r…

GIRARD, René. LA VIOLENCIA Y LO SAGRADO.

A LONGA MARCHA DA VACA PARA O BREJO

Comentário proferido na rádio Cultura AM em 29 de outubro de 2013.

ENTRE A MAJESTADE E A INFÂMIA

Escrevinhação n. 1060, redigida entre os dias 27 de outubro de 2013, dia de São Vicente, de Santa Sabina e Santa Cristeta e de São Gonçalo de Lagos, e 28 de outubro de 2013, dia de São Simão e de São Judas Tadeu.
Por Dartagnan da Silva Zanela

1. Lembro-me que, quando criança, imaginava que todos os problemas poderiam ser resolvidos de supetão. Rapidinho. Ledo e delicioso engano da tenra idade a muito vivida. Alguns explicam essa impaciência dos pueris idos devido ao pouco tempo vivido que serve-nos de parâmetro de comparação para mensurar o deleite e a angústia dos momentos ou, como diriam os antigos, simplesmente pelo fato de termos mais futuro que passado o presente torna-se apertado e, por isso, tornamo-nos impacientes com relação a chegada das primaveras que estão por florir. Lembrar dos beicinhos e das birras é algo saudoso e ao mesmo tempo engraçado quando os rastros que ficaram para trás são muitos e a linha de chegada já pode ser vista pelos olhos da alma. Porém, o que é patét…

CAMÕES, Luis Vaz de. SONETOS.

Oração de Santo Anacleto González Flores

"¡Jesús misericordioso! Mis pecados son más que las gotas de sangre que derramaste por mí. No merezco pertenecer al ejército que defiende los derechos de tu Iglesia y que lucha por ti. Quisiera nunca haber pecado para que mi vida fuera una ofrenda agradable a tus ojos. Lávame de mis iniquidades y límpiame de mis pecados. Por tu santa Cruz, por mi Madre Santísima de Guadalupe, perdóname, no he sabido hacer penitencia de mis pecados; por eso quiero recibir la muerte como un castigo merecido por ellos. No quiero pelear, ni vivir ni morir, sino por ti y por tu Iglesia. ¡Madre Santa de Guadalupe!, acompaña en su agonía a este pobre pecador. Concédeme que mi último grito en la tierra y mi primer cántico en el cielo sea ¡Viva Cristo Rey!" Amém

TOLERAR É PRECISO

Comentário proferido na rádio Cultura AM no dia 28 de outubro de 2013.

A Instrumentalização da História

Por Rafael de Mesquita Diehl Revista Vila Nova
Quando estudamos História, devemos sempre distinguir bem os fatos históricos das interpretações, juízos e impressões sobre eles. Pesquisa e análise históricas, via de regra, provém do estudo de fontes e documentações históricas (de diversas naturezas: escritas, artísticas, orais, etc), de interpretações e de discussões com outros estudiosos sobre o tema. Algumas interpretações tornam-se célebres, quer pelo prestígio dos que as formularam, quer por estarem inseridas em uma corrente de pensamento de grande amplitude no contexto em que o estudo foi produzido. Excetuando-se os historiadores e pesquisadores de áreas afins, raramente as pessoas têm contato direto com as fontes históricas, de forma que geralmente passam a conhecer a História de maneira indireta, mediante as interpretações mais conhecidas e comuns construídas pelos estudiosos.
Em um mundo de intenso movimento e mudanças tecnológicas, somos frequentemente tentados a ver os conheci…

RATZINGER, Joseph (Papa Bento XVI). DIOS Y EL MUNDO.

ORAÇÃO DE SÃO BOAVENTURA

Feri, dulcíssimo Jesus, o mais íntimo e profundo do meu ser com o dardo suavíssimo e salutar do Vosso amor, com aquela santíssima e inalterável caridade que foi brasão e timbre dos vossos Apóstolos, para que a minha alma se deleite e elanguesça para febre sempre crescente de Vos querer mais. Dai à minha alma que se queime em desejos de Vós, que desfaleça em Vossos átrios, e deseje dissolver-se e confundir-se conVosco. Que tenha fome de Vós, ó Pão dos Anjos, Pão das almas santas, Pão nosso de cada dia, supersubstancial, fonte inexaurível de paz e suavidade. Ó Vós a Quem unicamente os Anjos desejam contemplar! Oh! Que meu coração tenha fome de Vós, que só de Vós se alimente, e que só do prazer que de Vós deriva se comovam as entranhas do meu ser; que só de vós tenha sede, ó fonte da vida e da sabedoria e da ciência e da luz eterna, ó torrente de todos os prazeres, ó riqueza da casa de Deus, só por Vós ansie, só a Vós procure, só a Vós encontre, só para Vós caminhe, só a Vós alcance, só…

[QUASE UM] SONETO N. 04

Por Dartagnan da Silva Zanela, em 26 de outubro de 2013.
Com uma camiseta a encobrir a cabeça
E com a mesma a ocultar a face
O garoto mimado urra contra o passe
Alienando-se com sua falta de gentileza.

O “V” não é de vingança como nos quadrinhos,
Mas de vândalos alienados por seus mestres,
Que com o grito de revolução em suas mentes
Os fazem de idiotas úteis bem direitinho.

Sim! Os Black Blocs estão nas ruas e praças,
Gritando trocadinhos e palavras de ordem,
Mas como estudantes, não são de nada.

Tocar o horror e depredar eles bem sabem,
Mas estudar, que é bom, nem de passagem,
E essa foi toda sua aprendizagem.

ARISTÓTELES. RETÓRICA.

ENTRE A INFÂNCIA E A MAJESTADE

Escrevinhação n. 1059, redigida entre os dias 22 de outubro de 2013, dia de São João Capistrano, e 26 de outubro de 2013, dia de Santo Evaristo.
Por Dartagnan da Silva Zanela


1. Penso que um juiz bem gabaritado para julgar-nos somos nós mesmos quando ainda estávamos em tenra idade. Isso mesmo! Deslocarmo-nos, imaginativamente, ao nosso mundo infantil, quando tínhamos mais futuro que passado, quando os sonhos eram uma realidade solvida deliciosamente em nossa alma é um exercício reflexivo formidável. Faço isso com relativa freqüência e pergunto-me: o que aquele garoto gordinho me diria? O que ele sentiria em relação ao homem que me tornei? Obviamente que não me tornei o que o eu menino queria ser quando crescido. Creio que raras são as pessoas que realizam suas projeções infantis. Porém, a pergunta que realmente interessa é bem outra. Será que aquela criança que um dia fomos sentiria orgulho ou vergonha do adulto que nos tornamos? Será que essa mesma criança não ficaria até mesmo assus…

RATZINGER, Joseph. MIRAR A CRISTO

ORAÇÃO DE SANTO TOMÁS DE AQUINO

Graças Vos dou, Senhor Santo, Pai onipotente e Deus eterno, porque Vos dignaste saciar, a mim pecador e Vosso indigno servo, sem merecimento algum de minha parte, mas só por misericórdia Vossa, com o precioso corpo e sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho. E peço-vos, Senhor, que esta santa Comunhão não seja para mim motivo de castigo, mas penhor seguro de perdão. Que me seja armadura de fé e escudo de boa vontade. Que extinga na minha alma os vícios, o ardor da concupiscência e o desejo das coisas que degradam; que me faça crescer na caridade e na paciência, na humildade e na obediência e em toda espécie de virtude. Que me defenda das insídias dos inimigos visíveis e invisíveis; que me aquiete os movimentos do espírito e da carne; que me prenda indissoluvelmente a Vós, que sóis meu Deus verdadeiro, e que, enfim, seja a consumação feliz do meu destino. E dignai-Vos conduzi-me, Senhor, não obstante os meus pecados, àquele banquete inefável, onde com o Vosso Filho e Espírito …

Santo Afonso de Ligório. A ORAÇÃO

CAI MÁSCARA DOS CAETANOS E CHICOS

Por Janer Cristaldo Fonte: RATIO PRO LIBERTAS
Alguém ainda lembra dos dias em que comunistas, petistas e artistas bradavam contra a ditadura e pediam liberdade de expressão e pensamento? Eu me lembro, não faz ainda meio século. Boa parte dos defensores da liberdade ainda vive e se faz presente nas discussões do país. Só que o discurso mudou. Agora pedem proibição da livre expressão e do pensamento.
Começaram com o jornalismo. Em 69, os militares regulamentaram a profissão de jornalismo, ofício que em país algum do mundo civilizado é regulamentado. As esquerdas, que sempre condenaram os militares, assumiram com entusiasmo o decreto da ditadura. Afinal, serve para controlar a liberdade de expressão e pensamento. Então é salutar, digno e justo.
Continuaram tentando censurar a História. Ano passado, foi apresentado no Congresso projeto de lei do senador Paulo Paim pretendendo regulamentar a profissão de historiador. No que dependesse do senador petista, Heródoto não teria escrito suas Hi…

KAROL, O HOMEM QUE SE TORNOU PAPA

Comentário proferido na rádio Cultura AM em 25 de outubro de 2013.

DOSTOIEVSKI, Fiodor. CRIME E CASTIGO.

PROGRAMA AVE MARIA, 24 de outubro de 2013.

Nina e Carminha em Brasília

Por Nelson Motta Estado de São Paulo
Se o mensalão não tivesse existido, ou se não fosse descoberto, ou se Roberto Jefferson não o denunciasse, muito provavelmente não seria Dilma, mas Zé Dirceu o ocupante do Palácio da Alvorada, de onde certamente nunca mais sairia. Roberto Jefferson tem todos os motivos para exigir seu crédito e nossa eterna gratidão por seu feito heroico: "Eu salvei o Brasil do Zé Dirceu".
Em 2005, Dirceu dominava o governo e o PT, tinha Lula na mão, era o candidato natural à sua sucessão. E passaria como um trator sobre quem ousasse se opor à sua missão histórica. Sua companheira de armas Dilma Rousseff poderia ser, no máximo, sua chefa da Casa Civil, ou presidenta da Petrobrás.
Com uma campanha milionária comandada por João Santana, bancada por montanhas de recursos não contabilizados arrecadados pelo nosso Delúbio, e Lula com 85% de popularidade animando os palanques, massacraria Serra no primeiro turno e subiria a rampa do Planalto nos braços do povo,…

Cala a boca já morreu

Por Carlos Ramalhete
Acabo de ler a enorme compilação de artigos do filósofo Olavo de Carvalho O mínimo que você precisa saber para não ser um idiota. Organizada por um de seus muitos fãs, é uma excelente introdução às ideias políticas deste pensador, uma das poucas vozes realmente originais na cena cultural brasileira.
Conheço e acompanho de longe parte do seu trabalho há muitos anos, ainda que não conheça sua faceta mais popular: os vídeos com aulas e opiniões com que conquistou enorme popularidade na internet. Já li alguns de seus livros, e já havia lido a maior parte dos artigos contidos no livro. Vê-los organizados por assunto, contudo, ajuda a perceber melhor a organicidade e originalidade do seu pensamento.
Sua voz, insistente como a de um São João Batista clamando no deserto, ressoou por anos apontando o perigo dos ideólogos hoje no poder na maior parte do nosso continente. Durante anos, ele foi percebido como o louco solitário que via comunistas debaixo da cama; enquanto iss…

SOMOS UMA ALMA IMORTAL

Comentário proferido na rádio Cultura AM no dia 24 de outubro de 2013.

SE A CARAPUÇA SERVIU...

Escrevinhação n. 1058, redigida no dia 22 de outubro de 2013, dia do Bem-Aventurado Papa João Paulo II.
Por Dartagnan da Silva Zanela

Há no coração humano uma essência alquímica que nos convida a transubstanciarmo-nos da criatura vulgar que somos em algo de distinta nobreza. E, muitas das vezes, procuramos cingir nosso passo pela via da simplicidade no intento de colaborar com esse processo. Quer dizer, verbalmente afirmamos perante os outros e diante de nosso reflexo no espelho que somos pessoas simples, porém, em boa parte dos casos, essa simplicidade é tão oca quanto à cabecinha que maquinou a enunciação da referida qualidade, noutras tantas até o é, mas não por virtude, mas sim, por mesquinharia e vanglória.
Essa simplicidade que insulta a memória dos santos é algo que advém de nossa sanha compulsiva em ostentar uma auto-imagem boazinha que, em si, é um adorno indispensável para uma vida vivida de maneira leviana e impensada. Obviamente que aquela turminha que não vive sem uma car…

A DIFIRENÇA

Comentário proferido na rádio Cultura AM no dia 23 de outubro de 2013.

PALAVRAS PERPLEXAS

Escrevinhação n. 1057, redigida entre os dias 19 de outubro de 2013, dia de Santa Iria, de Santa Maria Bertilla Boscardin e do Beato Contardo Ferrini, e 22 de outubro de 2013, dia do Bem-aventurado Papa João Paulo II.
Por Dartagnan da Silva Zanela

1. A tolerância é um valor importante, não há dúvidas sobre isso. Entretanto, o que é sumamente desdenhado atualmente é que existem atitudes e valores toleráveis e outros tantos que são intoleráveis e que devem ser sumamente descriminados. Detalhe: a fronteira entre o tolerável e o inaceitável é muito clara desde que o senso de razoabilidade seja devidamente respeitado. E se há algo que definitivamente é desdenhado é justamente isso devido à presença acachapante dum relativismo moral irredutível que nivela todos os bens culturais ao nível dum banal entretenimento e eleva o materialismo e as imposturas estatais à categoria de princípio categórico que arrogam, arbitrariamente, o direito de tomar o lugar do senso de razoabilidade da maneira mai…

Videoconferência de lançamento de 'O mínimo que você precisa saber para não ser um idiota'

O homem que ressuscitou a filosofia no Brasil

Por José Maria e Silva
Historicamente, a filosofia se situa entre o laboratório e o templo. Enquanto o cientista é o escravo dos fatos e o sacerdote é o servo da fé, o filósofo é filho da liberdade de pensamento e sua atividade intelectual não encontra limites. A função essencial da filosofia, mais do que oferecer respostas, é formular perguntas. Ela não se rende, de antemão, nem ao experimento nem ao milagre e submete um e outro ao escrutínio da razão — desconfiando da própria racionalidade. Isso faz com que a dúvida seja o alimento essencial do filósofo, não para negar a verdade, mas para buscá-la em sua pureza, mesmo sabendo que, no mais das vezes, essa é uma missão inglória. Buscar a verdade é tarefa de Sísifo, o personagem da mitologia grega condenado a empurrar uma pedra até o topo de um monte apenas para vê-la rolar outra vez ao chão, tendo de repetir para sempre o esforço inútil.
Mas, em sua luta vã com a verdade, o filósofo antigo iluminava o mundo. Desde que os gregos emanc…

Bate-papo de Olavo de Carvalho, Lobão e Danilo Gentili

A moral do Brasil

Por Olavo de Carvalho
Se você quer entender e não tem medo de perceber em que tipo de ambiente mental está metido nesse nosso Brasil, nada melhor do que estudar um pouco a Teoria do Desenvolvimento Moral de Lawrence Kohlberg. Enunciada pela primeira vez em 1958 e depois muito aperfeiçoada, ela mede o grau de consciência moral dos indivíduos conforme os valores que motivam as suas ações, numa escala que vai do simples reflexo de autopreservação natural até o sacrifício do ego ao primado dos valores universais.
Kohlberg, que foi professor de psicologia na Faculdade de Educação em Harvard, desenvolveu alguns testes para avaliar o desenvolvimento moral, mas os críticos responderam que isso só media a interpretação que os indivíduos testados faziam de si mesmos, não a sua motivação efetiva nas situações reais. Essa dificuldade pode ser neutralizada se em vez de testes tomarmos como ponto de partida as condutas reais, discernindo, por exclusão, as motivações que as determinaram. [continue …

PARA MERGULHAR NUM OLHAR

Comentário proferido na rádio Cultura AM no dia 22 de outubro de 2013.

CURTIR, COMPARTILHAR, VIVER

Comentário proferido na rádio Cultura AM em 21 de outubro de 2013.

COM LOUSA, CUSPE E GIZ

Escrevinhação n. 1056, redigida entre os dias 15 de outubro de 2013, dia de Santa Tereza D’Ávila, e 18 de outubro de 2013, dia de São Lucas.
Por Dartagnan da Silva Zanela

1. A questão é bem simples: professor não é e nem deve ser “agente de mudança social”. Se você é daqueles que se utiliza do espaço da sala de aula para disseminar crendices marxistas, cacoetes relativistas/multiculturalista, jargões cientificistas, trocadilhos politicamente-corretos, lorotas ateísticas/niilistas, patacoadas new age e tutti quanti, das duas uma: ou você para com essa coisa toda ou não mais queira chamar para si o respeito que é devido a um professor, pois tais imposturas não são dignas duma pessoa que esteja investida desta autoridade. Por isso, digo e repito: agente de mudança social não é professor. Aos segundos meus sinceros parabéns e que o Altíssimo os cubra de graças em sua magisterial caminhada. Aos primeiros, apenas o meu desprezo que, por sua deixa, já é muito mais do que lhes é merecido.
2. S…

MARIA SANTÍSSIMA - parte I

Comentário proferido na rádio Cultura AM no dia 17 de outubro de 2013.

A IMPORTÂNCIA DO EXAME DE CONSCIÊNCIA - parte III

Comentário proferido na rádio Cultura AM no dia 16 de outubro de 2013.

O VÁCUO CULTURAL

Imagem
Escrevinhação n. 1055, redigida no dia 15 de outubro de 2013, dia de Santa Tereza D’Ávila.
Por Dartagnan da Silva Zanela

Em sua obra “A aldeia ancestral”, Pearl S. Buck faz uma consideração que, julgo eu, é de grande pertinência. Logo no início do livro ele nos conta que em Chinatown, com grande freqüência, vinham grupos de teatro do Cantão. Porém, muitas das vezes, o empresário que as trazia, o senhor Billy Pan, findava o ano com prejuízo. Quando isso era anunciado rapidamente os negociantes cobriam o seu déficit. Qual era a razão para tamanha generosidade? A resposta a essa pergunta é o ponto central dessa missiva.
Segundo Buck, a maioria dos chineses que ali residiam não eram pessoas suficientemente educadas e não sabiam explicar bem aos seus filhos o que era a China. Não sabiam explicar, mas estavam cônscios de que os seus mancebos necessitavam duma resposta razoável as suas indagações e esse era o motivo que levava os negociadores serem tão magnânimos para com o empresário que tr…

A IMPORTÂNCIA DO EXAME DE CONSCIÊNCIA - parte II

Comentário proferido na rádio Cultura AM no dia 15 de outubro de 2013.

A IMPORTÂNCIA DO EXAME DE CONSCIÊNCIA - parte I

Comentário proferido na rádio Cultura AM no dia 14 de outubro de 2013.

COLOCANDO O RUMO NO PRUMO

Comentário proferido na rádio Cultura AM em 11 de outubro de 2013.

PENNA, José Osvaldo de Meira. O DINASSAURO

AINDA SOBRE OS DESVALORAR DOS VALORES

Comentário proferido na rádio Cultura AM no dia 10 de outubro de 2013.

NÃO ME VENHA COM BAGATELAS

Escrevinhação n. 1054, redigida entre os dias 06 de outubro de 2013, dia de São Bruno, Santa Maria Francisca das Cinco Chagas e do Beato José Rubio, e 09 de outubro de 2013, dia de São Francisco Borja.
Por Dartagnan da Silva Zanela


1. Meu filho foi contemplado! Explico-me: o pequeno, que já não é tão pequeno assim, é dizimista. Seu nome foi sorteado em nossa Paróquia para receber um grande ícone tridimensional de Nossa Senhora da Conceição Aparecida. Seu avô lhe entregou. Os negros olhos amendoados do meu menino brilharam de alegria ao receber a imagem morena coroada imperatriz com seu azulado manto. Minha pequenina batia palmas de contento e foi a primeira de todos nós a colocar-se de joelhos diante do ícone de Nossa Senhora. Do seu jeitinho moleca pôs-se a rezar. Gesto este que nosso solzinho aprendeu, sem dúvida alguma, com seu irmão, nosso pequeno grande tesouro, que do seu jeito piá, sabe muito bem que apenas as almas aquilatas não envergonham-se de prostrar-se de joelhos e vener…

O DESVALORAR DOS VALORES

Comentário proferido na rádio Cultura AM em 09 de outubro de 2013.

ENTRE O GRITO E A CARTA

Escrevinhação n. 1053, redigida no dia 07 de outubro de 2013, dia de Nossa Senhora do Rosário.
Por Dartagnan da Silva Zanela

Cultivo pouquíssimas discordâncias com Monteiro Lobato, esse ranheta de fartas pestanas que tanto ilumina nossas letras e que hoje os sicofantas ineptos querem tanto ofuscar com seu obeso e invejoso olhar. De todas as suas observações há uma que, de fato, considero lapidar. Em sua obra “A barca de Gleyre”, que reúne quarenta anos de correspondência entre o taturana e Godofredo Rangel, ele afirma que se pudesse leria apenas cartas e nada mais, pois considerava que apenas no gênero epistolar haviam letras sinceras.
Aqueles que já tiveram a grata alegria de ler as cartas trocadas entre Machado de Assis e Joaquim Nabuco, Jefferson e John Adams e tutti quanti, sabem muito bem do que Lobato fala. Uma carta é um testemunho sincero duma alma à outra, uma confissão. Tal testemunho, por sua deixa, não era elaborado de maneira impensada como fazemos com nossas mensagens, e-…