SEM UMA PIMENTINHA NÃO DÁ PÉ




Por Dartagnan da Silva Zanela (*)

(i)
Gente politicamente correta é duma sensibilidade epidérmica e seletiva terrível, similar àquela manifesta em idade pueril. Quando o algo que ruim lhes aflige, essas alminhas gritam e esperneiam como se fosse o fim do mundo. Agora se elas mesmas fazem algo similar, ou pior, com outrem elas festejam, de modo histérico também, como se isso fosse uma manifestação singular de cidadania.

(ii)
Dum modo geral, o que a galerinha chama de consciência crítica não passa duma canina mentalidade de matilha. O tipinho repete as nulidades toscas que seus pares dizem aqui e acolá para não se sentir totalmente reduzido em sua fundamental nulidade individual. Só isso e olhe lá.

(iii)
Toda e qualquer boa lembrança quando, de maneira desavisada, é evocada pela velha canção que por acaso é tocada na vitrola digital, acaba tocando sem querer querendo o coração dos ouvidos em desassossego e acaba na alma fazendo uma bela duma senhora lambança que não dá a menor vontade de querer arrumar.


(*) Professor, cronista e bebedor de café.

Comentários