ACHO QUE EU VI UM PASSARINHO

Por Dartagnan da Silva Zanela (*)

(i)
O estamento burocrático é uma espécie de Rei Midas às avessas: tudo que ele toca vira merda. Vira propina, caixa dois e merda. Muita merda.

(ii)
O caipora que fica repetindo palavras de ordem aqui e acolá, imaginando-se crítico por fazer isso, de fato não sabe o que é sentar e estudar.

(iii)
As músicas apreciadas por uma pessoa falam muito a seu respeito. Não dizem se ela é boa ou má, porém denunciam o quanto ela pode ser idiota.

(iv)
A questão não é se o Brasil deve ou não voltar à normalidade. A questão é saber se em algum momento nossa república conheceu a dita cuja.

(v)
O sonso ideologicamente pervertido fala pelos cotovelos da manipulação da grande mídia, porém a sua única fonte de informação é a dita cuja.

(*) Professor, cronista e bebedor de café.

Comentários