DANDO UNS TIRINHOS DE 22


Por Dartagnan da Silva Zanela (*)

(1)
Quando um caipora se apresenta, todo empavonado, como sendo o paladino da ética e blábláblá, pode ter certeza que o carniça não vale um vintém.

(2)
Da mesma forma que os rubros caciques do poder dividem o povo para mais facilmente governá-lo eles também se dividem pra poder melhor ludibriar a todos e no poder se perpetuar.

(3)
A esquerda apresenta-se fracionada em um punhado de partidos políticos não porque eles não se entendem e estão divididos. Não mesmo. Eles estão umbilicalmente unidos por uma agenda política comum, mas apresentam-se com várias legendas para melhor ludibriar a opinião pública e distorcer o entendimento do cenário político para poderem se limpar na própria sujeita e fingir fazer oposição contra si mesma para afastar qualquer oposição real, com agenda própria, contra eles.

(4)
A disciplina da inteligência funda-se numa imaginação bem adestrada. Uma imaginação manca, toda deformada por estereótipos e cacoetes politicamente corretos irá deformar a inteligência e, uma inteligência, para dar bons frutos, necessita da ambrosia que apenas pode ser fornecida pela grande literatura universal. Qualquer coisa diferente disso não passa de pedagogismo do sassafrás.

(5)
A elite vermelha quando fala que está defendendo os trabalhadores brasileiros e os desvalidos da pátria é porque ela está desesperadamente se escondendo atrás do tal do povo empobrecido para melhor defender a sua agenda política totalitária e lutar com unhas e dentes pela manutenção de sua permanência na ciranda do poder. E tudo isso é feito em nome do povo sem necessariamente incluí-lo, é claro.


(*) Professor, cronista e bebedor de café.

Comentários