QUASE POESIA, N. 127

Ocas e vazias são as bolhas de sabão
Feitas em nome de uma paz hipotética
Proclamada por um e outro coração
Que crê de maneira vã e patética
Que essa ação politicamente correta
Irá proteger os cidadãos da violência
E do cinismo da intocável delinquência.

Comentários