QUASE POESIA, n. 97

A barba negra cresce, desce...
Esperando que a navalha suba
E deslize suave com a espuma
Sobre as rugas da minha pele.

Comentários