quinta-feira, 20 de abril de 2017

QUASE POESIA, n. 95

Na consciência mora
A verdade silenciosa
Que grita a toda hora
Pra de forma amorosa
Despertar sem prosa

Nossa alma vaidosa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário