QUASE POESIA, N. 85

O silêncio discreto do cair da tarde
Convida-nos sempre, sem alarde,
A meditarmos sobre o crepúsculo

Que irá nos deixar em sono sepulto.

Comentários