QUASE POESIA, N. 84

Na quadratura do círculo
Habita o signo do ridículo
Duma vida sem sentido.

Comentários