QUASE POESIA, n. 101

A Cruz que fere e sangra Nosso Senhor
Torna-se mais e mais pesada enquanto
Insistimos em identificar de modo leviano
A luxúria e a vaidade com o sublime amor
Escarnecendo sem a menor vergonha
O sacrifício de Cristo no alto da montanha.

Comentários