QUASE POESIA, n. 83

A alma pragmática acha louvável
O vulgar espírito utilitário soturno
De sua vida banal e imprestável.

Comentários