UM ALVO DE GELEIA

Por Dartagnan da Silva Zanela (*)

ACHO QUE NÃO
Os bocós de mola, metidos a esclarecidos e convencidos de que são mui sabidos, em nenhum momento estranharam e se perguntaram por que toda a grande mídia estava e está berrando em uma só voz contra o senhor Donald Trump. Não sabem eles que a unanimidade é burra e maliciosa? Acho que não.

ENTRE UM RANGO E A FAKE NEWS
Tem gente que quando vai a uma lanchonete pra comer um grude e é surpreendido com um verdadeiro grude. Mesmo assim, resolve comer tudo, tudinho, como se fosse o mais apetitoso manjar só pra não perder o dinheiro que foi pago pela gororoba. Bem, imagino que muita gente que assina tranqueiras como a bobo news deve agir de maneira similar: vê que tudo que lhe é vendido como sendo uma cândida verdade não passa de lorota da pior qualidade, mas, mesmo assim, crê em tudo, tudinho, só para não perder os pilas que foram gastos.

SEM RUMO, NEM PRUMO
Não é querer gorar, apenas te digo uma coisa: se o Brasil continuar seguindo por esse carreiro, cedo ou tarde, as pessoas não mais irão somente afrontar com desaforos certos deputados, senadores e “otoridades”, quando forem encontradas em locais públicos.

Se continuarmos por esse caminho, algo me diz que não vai demorar muito para que a população sente a pua em qualquer indivíduo desse naipe que apareça em qualquer lugar, em qualquer ocasião que seja.

Enfim, como havia dito, não é querer gorar não, mas se continuarmos nessa direção, não me impressionará nem um pouco se o povo perder o prumo com essa gente que tem deixado nosso país sem rumo.

PREVENIR É O MELHOR REMÉDIO
Quando um intelectuloide com uma, duas ou mais mãos canhotas, que se esforça pra caramba pra fazer aquela pose afetada de imparcialidade e superioridade, começa a querer falar de nova direita e blablablás similares, pode ter certeza de duas coisas: ele literalmente não sabe o que está dizendo e, principalmente, você irá precisar dum bom rolo de papel higiênico para, como direi, contra-argumentar o que lhe foi atirado nas ventas pelo sujeito criticamente crítico.

ORGULHOSAMENTE CRÍTICO
Quando mais um ranhento fica dizendo que é uma pessoa crítica, que devemos ter uma consciência crítica, que a escola deve ser crítica, que as nossas atitudes devem ser críticas, que o feijão com arroz e farofa devem ser críticos, não se engane! O que o carniça quer dizer é que ele é um idiota, que sente muito orgulho disso, mas não quer saber de ficar sozinho em sua idiotia. Só isso.

(*) Professor, cronista e bebedor de café.

Comentários