REFLEXÕES NEM UM POUCO REDONDAS

Por Dartagnan da Silva Zanela (*)

QUANDO É ELOGIO DÁ MEDO
Se George Soros diz que Trump não presta, isso já é um ótimo sinal. Se a grande mídia Americana afirma que ele, Trump, não é boa gente, isso é muito bom, muito bom mesmo. Agora, se a grande mídia verde amarela e os intelectuais brazucas papagueiam o que foi dito pelos primeiros, isso é mais que perfeito. É show de bola. Porque ser criticado por certas pessoas é a maior honraria que pode existir.

SIMPLES FEITO REGRA DE TRÊS
Pra entender as notícias que são requentadas e servidas pela grande mídia - que vive fingindo aquela pose azeda de “isenta” - o macete é simples, bem simples mesmo. Toda vez que ela joga confete em alguém, desconfie. Quando a grande mídia critica de maneira voraz alguém, fique também com a pulga atrás da orelha, porque sempre que a grande mídia elogia alguém ou algo ela o faz pelas razões erradas e, quando ela critica alguém ou algo, ela o faz pelas piores pretextos possíveis. É isso.

RELER É APRENDER
No livro “O imbecil coletivo – tomo I”, do professor Olavo de Carvalho, há um capítulo cuja leitura e releitura é de fundamental importância para entendermos a mentalidade demente de boa parte da classe tagarelante quando o assunto é bandidagem, carceragem, desarmamento, direitos humanos, criminalidade e tutti quanti.

“Bandidos & letrados” é o capítulo, onde o referido filósofo mete o dedo na ferida sem dó, lembrando-nos, entre outras coisas, que “é absolutamente impossível que a disseminação de tantas ideias falsas não crie uma atmosfera propícia a fomentar o banditismo e a legitimar a omissão das autoridades”.

Bem, isso assim o é porque tudo que está para a ação, primeiramente deve estar disposto na imaginação e, não é preciso nem dizer quem são as alminhas e quais são as ideiazinhas que (de)formam a mentalidade do establishment e pululam no imaginário formatado pelo show business.

Enfim, aí está a dica. Leia sem moderação.

(*) Professor, cronista e bebedor de café.

Comentários