QUASE POESIA – n. 56 (10/I/2017)


O inocente, até então vítima do agressor,
Pedia as vestais estatais apenas a sua atenção
Para sentir-se justiçada e assim aliviar a sua dor.

Porém diante da atual e franca degradação
Em que se encontra a sociedade agonizante
O bandido torna-se vítima indireta do agredido

Que passa ser das leis e de suas vestais o preferido
E que tratam o vitimado como um inconfesso meliante
Que deve contentar-se, silente, com o mal sofrido.

Comentários