QUASE POESIA – n. 50 (04/I/2017)

Ensinar é uma fina arte, dura e solitária,
Por vezes amarga e, vez por outra, ingrata
Como bem o sabem as almas vocacionadas.

Almas que muito bem sabem em que consiste
Essa desapercebida e mui ignorada atividade
E bem como suas implicações frente a realidade.

Realidade que pode ser iluminada com o zelo
Duma educação realizada com atenção e esmero
Ou obscurecida pelo atual e reinante desprezo.

Desprezo esse que usurpa as vestes da educação
Pervertendo a verdade, os valores, e a tradição
Em nome duma ideologia vã e sem coração.

Comentários