Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2017

QUASE POESIA - n. 77 (31/I/2017)

Quando não se tem nada a dizer
A prudência, mãe das virtudes, vem
A nos recomendar, com decoro, calar
E não mais tolamente insistir em opinar.

SÃO JOÃO BOSCO, ORA PRO NOBIS

Imagem
Por Dartagnan da Silva Zanela (*)
Ouvia hoje, como de costume, após a leitura e meditação da liturgia do dia, a homilia do padre Paulo Ricardo na qual ele referia-se a memória de São João Bosco. Mais especificamente ao seu método educacional que, por sua deixa, era muitíssimo simples e, por isso mesmo, excepcional.
Padre Paulo lembra-nos que o método educacional do santo fundava-se em duas colunas: a confissão [direção espiritual] e a comunhão frequente [o mais frequente possível].
Ouvindo essas palavras, fiquei cá com meus alfarrábios, a indagar-me sobre o seguinte borogodó: existe, por um acaso, hoje no Brasil alguma instituição de ensino nominalmente católica que utilize-se desse método na formação dos mancebos? Será que em alguma paróquia tal método é utilizado na catequese para a primeira eucaristia [no caso, a coluna da confissão frequente] e para o Crisma [aí, nesse caso, as duas colunas]?
Aliás, quantos são os sacerdotes que, de fato, estão preparados e dispostos a ofertar aos fié…

O SORRISO AZUL

Imagem
Por Dartagnan da Silva Zanela (*)
Uma religião não deve ser praticada para nos sentirmos bem, porque religião não é como geladinho feito com kisuko de uva.
Muitíssimo menos para parecermos bonitinhos na fita social, política e midiática, porque religião também não é maquiagem nem ideologia.
Uma religião não deve, em hipótese alguma, ser mutilada e reduzida ao tamanho de nossa pequenez, como tanto gostam de fazer os religiosos progressistas. Fazer isso, não é outra coisa senão safadeza egolátrica e insídia ideológica.
Uma religião deve ser praticada, sempre, com temor e tremor, com retidão de propósito, para, desse modo, nos amoldarmos a Verdade manifesta através dela e não o contrário.
Se assim procedermos, com muito esforço e com o indispensável auxílio da Graça, poderemos nos tornar pessoas um pouquinho menos ruins do que somos ordinariamente.
Enfim, se conseguirmos perseverar por essa via, o Céu, com certeza, irá sorrir para nós.
(*) Professor, cronista e bebedor de café.

CUMBUCA MAL ACABADA

Imagem
Por Dartagnan da Silva Zanela (*)
Certa feita, numa entrevista, pediram ao escritor Thomas Mann que ele oferece um conselho à juventude. Sem pestanejar, o prêmio Nobel disse que os jovens não deveriam jamais perder a capacidade de admirar.
A admiração é uma poderosa alavanca que move o desejo humano de ser, o desejo de realização da singularidade da personalidade de cada um.
Quando o admirar é voltado para figuras virtuosas, pode, como todos sabem, render bons frutos, ajudando o indivíduo a forjar, com o devido auxílio da Graça, a sua pessoa.
Quando perdemos essa capacidade, acabamos nos corroendo numa lúgubre fossa de rancor que, dia após dia, vai nos incapacitando de seguir nosso caminho nessa jornada que é profundamente humana.
Remendo importante: por favor [por favor!] não confunda a admiração com o culto à personalidade. Esse, é fartamente presente em meio aos praticantes do nacional-socialismo (Hitler), do fascismo (Mussolini) e do marxismo (de Stálin à Lula, passando por Chavéz, há …

ATRAVANCANDO O PROGRESSO

Imagem
Por Dartagnan da Silva Zanela (*)
ATRAVANCANDO O PROGRESSO (1) O mundo sempre teve um “Q” de loucura e um “Y” de estupidez. Na verdade, cada um de nós tem a sua própria dosagem desses ingredientes em sua pobre alma. Uns mais, outros menos, mas todos, sem exceção, temos a nossa devida porção desse desvairado latifúndio.
Logo, seria apropriado dizermos que o mundo está mais estulto? Não sei dizer. Algo me diz que não é bem assim não, em certos aspectos.
Sei apenas duma coisa: a faixa da população que crê ser a fatia mais esclarecida da sociedade está, a cada dia que passa, deixando sua máscara de sabido cair e, com isso, evidenciando aos olhos de todos a sua presunçosa estultice juntamente com o ridículo sem igual de suas alucinações utópicas mil.
Para verificar esse fato, basta ver o que os "criticamente esclarecidos" fazem, ouvir o que eles dizem e ler o que escrevem para que, com os nossos "Q" e "Y", possamos tirar as nossas próprias conclusões sobre a critic…

QUASE POESIA – n. 76 (27/I/2017)

Ignora quem apenas vê no olhar a flama
Que por trás dessa luz sem lâmpada
Há uma alma que arde nas chamas
Dum silente e doloroso drama.

É NECESSÁRIO FREAR A SOBERBA

Imagem
Por Dartagnan da Silva Zanela (*)
CONVERSA E CONVERSA Diálogo e conversação não significam que uma das partes tenha que ouvir e concordar com tudinho que a outra parte tem a dizer. Não é assim que funcionam as coisas na vida adulta. Somente as criancinhas acham que birrinha e chantagem sejam a mesma coisa que negociação e prosa. Diálogo e conversação significam que ambas as partes falarão, ouvirão e, no frigir dos ovos, possivelmente irão ceder aqui e acolá para poder entrar num acordo que, na maioria das vezes, é bem diferente do que era esperado por ambos os lados e que, ao fim, nem sempre é plenamente satisfatório. Mas, fazer o que? A vida é assim mesmo moço.
PÁGINAS SUJAS Um órgão de mídia, ou um caipora qualquer, que chamava Fidel Castro de "grande estadista" e que via e vê nele um exemplo de sei lá o que, quando abre os beiços para criticar Trump merece, no mínimo, o nosso desprezo. Umas gargalhadas, quem sabe, mas, nada mais que isso.
MAIS ENCARDIDO DO QUE NUNCA A alma do b…

HOMENS E MULHERES

Imagem
Por Dartagnan da Silva Zanela (*)
Machistas não compreendem a sensibilidade feminina e, por essas e outras, não sabem o que é ser um homem.
Feministas, por sua deixa, ignoram soberbamente os silentes sentimentos masculinos e, por isso e muito mais, não sabem o que é ser mulher.
Ambos, cada um ao seu modo, criam a partir de fragmentos extraídos aqui e ali, misturados com um punhado de ideias doidas, uma abstração do que seja o ser homem e o ser mulher. E, através dessa abstração, essas almas passam a sentir, pensar e julgar tudo e todos.
Enquanto isso, homens e mulheres de carne e ossos, dentro de suas limitações e com seus inúmeros defeitos, em meio aos seus desentendimentos e acertos, procuram se compreender mutuamente na medida do [im]possível.
Homens e mulheres, héteros e homossexuais, tentam jeitosa ou desajeitadamente amar, perdoar, rir, chorar e todos vivem cientes – uns mais, outros menos - de que jamais seremos tudo o que imaginamos ser e, muito menos, seremos tudo aquilo que esper…

[vídeo] PROGRAMA AVE MARIA, 26 de janeiro de 2017.

Imagem
O PROGRAMA AVE MARIA é o programa radiofônico da Paróquia NOSSA SENHORA DE BELÉM que vai ao ar pelas ondas da rádio IGUAÇU FM de segunda a sábado às 18h00. Na quinta-feira o programa é apresentado por DARTAGNAN DA SILVA ZANELA.

QUASE POESIA – n. 75 (26/I/2017)

Muitos tem olhos argutos e palavras ferinas
Contra os muros que são edificados mundo à fora.
Mas nenhuma dessas almas ferozes de palavras duras
Dispõe-se a derrubar as muralhas de sua morada.

“ISMOS” SÃO PARA CANALHAS

Imagem
Por Dartagnan da Silva Zanela (*)
Muitas pessoas não suportam a confrontação com a realidade. O susto é tamanho, tão grande é a aversão à dureza da vida, que essas pobres alminhas procuram fugir dela da forma que lhe pareça mais rápida e agradável, que melhor alente o seu ego podre de mimado, mesmo que isso seja uma baita furada.
Bem, uns procuram isso nas diversões fúteis que, atualmente, não faltam. E tem pra todos os [maus] gostos.
Alguns outros procuram uma rota de fuga no consumismo bocó que lhes come os pilas pelos pés em troca de ilusórias e efêmeras satisfações. O que, também, por sua deixa, tem de sobra no mundo atual.
Há também aqueles que se afundam até os gorgomilos nas drogas, sejam elas lícitas ou ilícitas, pesadas ou mais pesadas ainda, chegando ao ponto de tornarem-se um trapo humano ou, nos casos mais graves, terminam como os figurantes da série “the walking dead” e similares.
O número desses pobres diabos tem crescido significativamente em nosso país, para a alegria do di…

UM ALVO DE GELEIA

Imagem
Por Dartagnan da Silva Zanela (*)
ACHO QUE NÃO Os bocós de mola, metidos a esclarecidos e convencidos de que são mui sabidos, em nenhum momento estranharam e se perguntaram por que toda a grande mídia estava e está berrando em uma só voz contra o senhor Donald Trump. Não sabem eles que a unanimidade é burra e maliciosa? Acho que não.
ENTRE UM RANGO E A FAKE NEWS Tem gente que quando vai a uma lanchonete pra comer um grude e é surpreendido com um verdadeiro grude. Mesmo assim, resolve comer tudo, tudinho, como se fosse o mais apetitoso manjar só pra não perder o dinheiro que foi pago pela gororoba. Bem, imagino que muita gente que assina tranqueiras como a bobo news deve agir de maneira similar: vê que tudo que lhe é vendido como sendo uma cândida verdade não passa de lorota da pior qualidade, mas, mesmo assim, crê em tudo, tudinho, só para não perder os pilas que foram gastos.
SEM RUMO, NEM PRUMO Não é querer gorar, apenas te digo uma coisa: se o Brasil continuar seguindo por esse carreiro,…

VALE UMA NOTA DE SETE REAIS

Imagem
Por Dartagnan da Silva Zanela (*)
Muitos bocós de mola ficaram horrorizados quando Trump chamou a CNN de fake news. Que dó. Que dó.
Porém, as afilhadas da fake news [e seus devotos e acólitos] aqui nessa terra de desterrados, jamais noticiaram as inúmeras respostas ríspidas que foram proferidas pelo senhor Obama, o queridinho dos esquerdopatas, contra a Fox News durante os seus oito anos de mandato.
Pois é, como sempre a mesma cafajestagem: tudo regrado com dois pesos e duas medidas. Rumorosos sobre um e silentes sobre o outro, conforme as conveniências.
Detalhe: não tenho nada contra o segundo usar palavras duras contra um órgão de mídia. Não mesmo. Esse tipo de coisa faz parte do jogo e, de mais a mais, é um direito que lhe assiste.
O que realmente é pra lá de ridículo é essa puxação de saco que a grande mídia promove em favor do ex-presidente Obama e a atitude aguerrida de cão sarnento em relação à Trump e, fazerem tudo isso, sob o epíteto de jornalismo. Esse tipo de borogodó, definitiv…

MENTIRAS SEM FRONTEIRA

Imagem
Por Dartagnan da Silva Zanela (*)
APENAS UM EXEMPLO Um gesto público fala muito mais que mil palavras lidas num teleprompter.
Exemplo: quando Obama - o queridinho da grande mídia esquerdista, do establishment globalista e dos bocós do fim do mundo - assumiu a cadeira do salão oval mandou retirar o busto de Winston Churchill, o arqui-inimigo do totalitarismo nacional-socialista, da Casa Branca. Tal gesto diz muito, muitíssimo, sobre Obama e seus admiradores.
Bem, noves fora zero, Trump, o maior causador de chiliques nos globalistas, esquerdistas e bocós, ao assumir a presidência dos Estados Unidos mandou imediatamente recolocar o busto de Churchill em seu devido lugar na Casa Branca. Pois é, essa atitude também diz muita coisa sobre quem é o presidente do cabelo laranja e o que são os seus escarnecedores desafetos.
MÁSCARAS E FANTASIAS Não sei dizer o que é mais ridículo: se é ver a torcida, fantasiada mal e porcamente de cobertura jornalística, feita pela grande mídia a respeito da campanha…

REFLEXÕES AO PÉ DA JANELA

Imagem
Por Dartagnan da Silva Zanela (*)
VALE TUDO O movimento revolucionário usa em seu plano estratégico - com seus inumeráveis tentáculos marxistas, marxizantes e marxianos - tudo o que estiver em seu alcance e todos que ele puder instrumentalizar para realizar o seu projeto que, nada mais é, que a conquista total do poder. Só isso.
MABUSE DA VIDA (1) Vivemos em um manicômio. Numa casa de lunáticos que faria o doutor Mabuse sentir inveja. Ora, um país onde se ostenta a cifra de, aproximadamente, setenta mil homicídios anuais e que, ao mesmo tempo, insiste-se em agir como se tudo estivesse correndo dentro da mais pia normalidade, de fato, não é um país não, é um hospício dirigido por doidos de pedra.
MABUSE DA VIDA (2) Fazer pose de equilibrado, de pessoa sabida e sensata que vê tudo pelo prisma da “solidez” de nossas instituições democráticas, ignorando que vivemos num país onde o desvario tornou-se a regra, onde a aberração, fantasiada de normalidade, é ditada por toda ordem de conspirações e …

QUASE POESIA – n. 74 (21/I/2017)

Cometer alguns erros e arrepender-se sinceramente
É algo simplesmente humano e qualquer um entende.
Agora, fazer do erro um projeto de vida somente
É aplaudido pelas hostes de canalhas e dementes.

O BRASIL AOS OLHOS DO DR. MABUSE

Imagem
Por Dartagnan da Silva Zanela (*)
No Brasil, do alto de seu berço esplêndido, tem muita gente que imagina que tudo está correndo muito bem devido à solidez de nossas enfermas instituições democráticas.
Bem, se assim o é e o louco da história sou eu, então vejamos: o nosso amado país é recordista mundial em número de homicídios (Que lindo).
O Brasil obtêm insistentemente os piores resultados nos testes internacionais que avaliam o desempenho educacional de crianças e adolescentes (Mais lindo ainda).
A nação verde amarela ostenta um portentoso e contínuo aumento no número de usuários de drogas como cocaína, crack e etc. (Alucinante).
Somos um país onde as pessoas mais precocemente iniciam a sua vida sexual (Pois é, pois é, pois é).
A pátria de chuteiras é líder mundial no número de professores que são agredidos em sala de aula (Eita!).
Enfim, sem apresentar nenhum outro índice vexaminoso, te digo uma coisa: qualquer um que diga que o Brasil não é uma sociedade doente e que o Estado brazuca, co…

A LONGA MARCHA

Imagem
Por Dartagnan da Silva Zanela (*)
Hoje, em países como a Polônia, Lituânia, Geórgia e Moldávia, que amargaram décadas a fio nas garras sanguinolentas de políticos e burocratas da ex-URSS, exibir publicamente símbolos que remetam ao marxismo, a essa ideologia genocida e totalitária, é considerado crime. Isso mesmo. Crime.
Nesses países o marxismo é tratado pelos frutos de suas obras que esses povos bem conhecem. Essa gente sentiu na carne e nos ossos o real significado das canhestras utopias delirantes do alemão barbudo e, por isso mesmo, não querem mais nem saber de sandices desse naipe.
Pois é. Já na Terra de Vera Cruz, hoje Brasil, segue-se um caminho muito diferente. Bem diferente mesmo. Aqui, entre outras coisas, tais símbolos, e bem como a ideologia que esses representam, são ostentados com orgulho e soberba em todos os cantos e das mais variadas maneiras.
E tem mais! Os mesmos que ostentam essas tranqueiras vermelhas não medem esforços e nem calculam o tamanho do histerismo para que…

REFLEXÕES NEM UM POUCO REDONDAS

Imagem
Por Dartagnan da Silva Zanela (*)
QUANDO É ELOGIO DÁ MEDO Se George Soros diz que Trump não presta, isso já é um ótimo sinal. Se a grande mídia Americana afirma que ele, Trump, não é boa gente, isso é muito bom, muito bom mesmo. Agora, se a grande mídia verde amarela e os intelectuais brazucas papagueiam o que foi dito pelos primeiros, isso é mais que perfeito. É show de bola. Porque ser criticado por certas pessoas é a maior honraria que pode existir.
SIMPLES FEITO REGRA DE TRÊS Pra entender as notícias que são requentadas e servidas pela grande mídia - que vive fingindo aquela pose azeda de “isenta” - o macete é simples, bem simples mesmo. Toda vez que ela joga confete em alguém, desconfie. Quando a grande mídia critica de maneira voraz alguém, fique também com a pulga atrás da orelha, porque sempre que a grande mídia elogia alguém ou algo ela o faz pelas razões erradas e, quando ela critica alguém ou algo, ela o faz pelas piores pretextos possíveis. É isso.
RELER É APRENDER No livro “O i…

QUASE POESIA – n. 73 (19/I/2017)

Sempre que, nessa triste nação,
A chapa começa esquentar
Um avião resolve, assim,
Do nada, das alturas precipitar
E, no chão, ou entre casas, ou
No meio do mar se espatifar.

QUASE POESIA – n. 72 (19/I/2017)

Os dias atuais são tão confusos e pestilentos
Que com uma facilidade até então impensável
Confunde-se qualquer bom mocismo agourento

Com a força curativa dum coração afável.
Não só isso faz parte desse triste momento.
O perdão também se reduziu a uma fraqueza abominável

Perdendo todo o seu poder de redimir os tormentos.
E assim o é por darmos primazia total ao mundo aparente
Ignorando o essencial significado de uma ação clemente.

MENTALIDADE RADICALMENTE CHIQUE

Imagem
Por Dartagnan da Silva Zanela (*)
Já reparou o quanto que gente chique, metida a sabida e crente de que é esclarecida pra caramba - gente que vive muito bem protegida num condomínio fechado ou num bairro bem cotado - ama de paixão a bandidagem, principalmente os mais violentos e os desprovidos de qualquer escrúpulo? É de arrepiar o tamanho da paixão [fingida] manifesta por essa turma. É horripilante o quão grande é a dissimulação de superioridade moral exibida por essa gente artificiosa.
Na dúvida, para esse pessoal, o bandido sempre tem razão, sempre, porque, para essa esquerda radicalmente chique, o meliante está, ao seu modo, apenas manifestando-se contra o tal do sistema burguês com suas leis excludentes e blablablá.
Ele, aos seus olhos ilustrados, não é um criminoso; é apenas alguém que está bravamente lutando contra as injustiças que o mundo lhes impôs. Todos, creio eu, já ouviram aqui ou acolá uma cantilena similar a essa.
E é claro que esses revoltadinhos caviar falam bem bravinho…

QUASE POESIA – n. 71 (18/I/2017)

Como nunca em nossa história se viu antes,
A Terra de Vera Cruz a cada dia que passa,
Aperta mais e mais o seu passo cambaleante
Rumo ao abismo profundo da farsa armada
Por políticos, intelectuais e demais desgraças
Que engambelaram o povo com suas trapaças
Que estão arruinando o futuro de toda a raça
E envergonhando toda a nossa pátria amada.

UMA REGRA COM POUCAS EXCEÇÕES

Imagem
Por Dartagnan da Silva Zanela (*)
Dum modo geral, aqueles que falam [supostamente] em nome do tal do povo são justamente os caiporas que menos se importam com dito cujo do povo. Todos sabem disso, inclusive um tongo do mato como eu.
Sejam eles políticos, intelectuais ou qualquer coisa do gênero, número e grau, todos aqueles que fazem da defesa dos frascos e comprimidos uma espécie de profissão com direito a verbas gordas ou, pelo menos, com a garantia dum salário razoável, literalmente, são pessoas que vivem bem à custa da desgraça alheia.
Esses tipos falam bonitinho, capricham pacas no marketing pessoal e, por essas e outras, até se apresentam bem na fita, mas, no fundo, toda essa pose de bom-moço excessivamente maquiada não passa de hipocrisia da brava.
Sim, é claro que deve existir aqui e acolá uma e outra exceção a essa triste regra, porém, se houver, é apenas isso: uma exceção a uma regra putrefaz. Só isso e nada mais.
(*) Professor, cronista e bebedor de café.

RECEITA PRA TIRAR O JUÍZO DE QUALQUER UM

Imagem
Por Dartagnan da Silva Zanela (*)
Todo manipulador dum rebanho de gado cidadão, digo, todo e qualquer "grande líder" do tal do povo, nunca se esquece dum babado muito simples: que ele não representa os interesses das massas atomizadas e agonizantes; ele, o líder, é sempre aquele que diz à multidão algo que irá corresponder aos seus sentimentos de desesperança.
Não apenas isso! Tais demandas apresentadas às massas como sendo delas mesmas devem, necessariamente, serem capazes de manter a turma mobilizada, mesmo que tais exigências sejam literalmente impossíveis de um dia serem atendidas.
O que importa não a plausibilidade das "reivindicações", mas sim, que elas sejam capazes de manter os indivíduos, até então atomizados e isolados, sintam-se um só lutando por uma “causa comum”, mesmo que ela seja causa nenhuma.
Resumindo o borogodó: o que interessa aos pretensos líderes dos cidadãos macambúzios, que vivem vidas sem sentido algum, é dar a esses uma razão postiça que impri…

QUASE POESIA – n. 70 (17/I/2017)

Imagem
Uma coisa é lutar dignamente como cidadão
Na defesa da verdade e dos valores fundamentais
Outra é tomar atitudes desordeiras e criminais
Avacalhando a sociedade e a dignidade da nação.

É DE AVERMELHAR O ZÓIO DA CARA

Imagem
Por Dartagnan da Silva Zanela (*)
Uma das coisas mais lindas desse mundo – e que lindeza - é ver esse bando de bocó de mola pedindo transporte coletivo Estatal gratuito pra todo mundo sem saber o quanto custa o dito cujo e, principalmente, esquecendo-se ou ignorando que, se essa tranqueira for estatizada de fio a pavio, quem pagará por essa bagaça toda serão os cidadãos - trabalhadores e contribuintes - através dum montão de impostos que serão cobrados aqui e acolá, todos diluídos para, como direi, não doer tanto, apesar de arder muito na carteira de todos.
(Inclusive os próprios bocós de bola terão de pagar e, pode ter certeza, que o trem não será doce não. Nem pra eles e muito menos para cada um de nós). Detalhe que merece destaque por ser mais do que óbvio: estamos no Brasil e sabemos muito bem o quão ligeiro é o Leviatã Estatal para resolver qualquer problema e que, para tal empreita, cobra-nos sempre uma quantia que faz nossas carteiras suarem só de pensar e, no fim das contas, nunc…