QUASE POESIA – n. 31 (21/XII/2016)

O fio da espada da justiça e da liberdade
São afiados na procura abnegada pela verdade
Para que seu brilho seja sempre um vivo guia
Dos corações que não se curva às tiranias.

Comentários