QUASE POESIA – n. 27 (18/XII/2016)

Minha amada é, se é, imperdoavelmente bela
Não há nesse mundo alma mais doce que ela
Sabendo ser carinhosa quando os dias sedem
E ser guerreira quando os mesmos dias pedem.

Comentários