DIÁRIO DE BORDO: DATA ESTRELAR INCERTA - 014

Por Dartagnan da Silva Zanela (*)

ESTUDANTES – A humildade, segundo Hugo de São Victor, é a virtude primeira para a realização duma vida de estudos; para sermos, de fato, um bom estudante. E, um bom estudante, por definição, não arroga querer transformar o mundo em algo que ele presume ser melhor, mas sim, ele almeja modestamente compreendê-lo e, nesse ato humilde e amoroso, acabar conhecendo-se melhor e tornando-se alguém mais digno prestativo e bom.

É impossível aprender qualquer coisa se não estamos dispostos a reconhecer o real tamanho de nossa ignorância sobre praticamente quase tudo. É improvável que cresçamos moral e intelectualmente se presumimos estar acima da realidade e, por uma leviandade dessa, acabamos, sem perceber, nos colocando para muito além do bem e do mal.

Bem, agora quando adultos desprovidos de caráter aplaudem a intemperança de crianças e jovens presunçosos dizendo a eles que seus atos inconsequentes são um exemplo de cidadania, ou qualquer sandice do gênero, esses biltres estão maliciosamente apagando no coração desses mancebos a frágil chama da humildade para inflamar suas almas com as fátuas labaredas da soberba que acabam reduzindo-os à condição amorfa de uma massa de manobra indigna, desocupada e má.

ESSE É O ÚNICO JEITO – Estudar é similar ao ato de rezar: é um ato de doação, de entrega de tempo, da vontade e de toda a atenção e intenção de nossa alma. Ou seja: quanto maior for nossa entrega, maior será o crescimento e melhor será a colheita. Porém, quanto menor for nossa oferta, maior será o desperdício de tempo e energia.

SEM NOÇÃO - Para os cidatontos engajados em suas arruaças (depre)cívicas a total falta de senso do ridículo tornou-se sinônimo de razoabilidade. Sim, sei que isso é absurdo; mas é a mais pura e cristalina verdade.

UMA SIMPLES RECEITA - Para manter a sanidade a receita que nos é dada pelo filósofo colombiano Nicolás Gómez D’Ávila é muito simples: não supervalorize os julgamentos e opiniões dos jovens e mantenha uma boa distância dos divertimentos cultivados pelos adultos. Faça isso e, segundo ele, ficará tudo certo.

OS ESCLARECIDOS - Quando alguém vem com aquele papinho de que é muito crítico por se considerar uma alminha mui esclarecida, não perco meu tempo e, sem pestanejar, saco logo dum rolo de papel higiênico dupla face a título de precaução contra a criticidade que ser-me-á atirada nas ventas.

(*) Professor, cronista e bebedor de café.

Comentários