BRANQUEOU OS CAMPOS, AS SERRAS E O QUINTAL

Por Dartagnan da Silva Zanela (*)

(1)
A geada revela aos olhos uma beleza ímpar e, ao tato, uma dor singular. E ambas tocam o nosso coração sem pedir licença e sem se desculpar.

(2)
Sinta nojo, mas não sinta inveja. Até fique furioso se quiser, mas não sai cuspindo nos outros ou defecando no retrato de alguém. Isso é feio.

(3)
Por que feministas derrubam cruzes, profanam Igrejas, agridem sacerdotes e enxovalham imagens sacras? Por empoderamento ou por respeito?

(4)
O que uma pedagogia equivocada apresentada com certo refino acadêmico fará pela educação quando colocada nas mãos de estultos diplomados?

(5)
A educação brazuca aposta cada vez mais em refinadas técnicas para ensinar cada vez menos e incutir mais tolices ideologizadas nos infantes.

(6)
Muitas vezes é imprescindível regressar para podermos seguir em frente de maneira acertada.

(7)
Tentar compreender a sociedade brasileira, na maioria das vezes, é uma tarefa inglória e, por isso mesmo, um trabalho imprescindível.

(8)
Tão truculenta quanto à pressão dum Estado totalitário é a pressão silenciosa dos grupos sociais que fazem a interface de praticamente todas as relações humanas na sociedade hodierna. São neles em que se arraigam os tentáculos censores do politicamente correto que dão sustentação a truculência totalitária. Essas organizações são, literalmente, o gélido sangue pútrido que anima o cinismo leviatânico.

(9)
Toda norma “moral” que fortaleça o Estado enquanto mediador de todas as relações humanas não passa duma cínica e diabólica anti-moral.

(10)
Quanto menor é a tensão interior cultivada pela moral no coração dos indivíduos maior será a pressão do Estado sobre as pessoas para poder dominá-las de modo mais eficaz. Esse, literalmente, é o papel da mentalidade politicamente correta.

(*) professor e cronista.

Site: http://dartagnanzanela.webcindario.com/

Comentários