TOMA QUE O FILHO É SEU

Por Dartagnan da Silva Zanela (*)

(1)
Não discuta com um colega comuna. Isso não faz bem pra ti e muito menos pra ele. Bater-boca com esse tipo de gente aufere a ele uma importância e dignidade que não lhes pertence. Fazendo isso, discutindo com ele, reforçasse mais ainda o quadro delirante em que o caipora se encontra.

A meu ver, nesses casos, o melhor remédio para esses casos é o desprezo puro e simples. Ou, ao menos, não dê importância a nada do que ele diz.

Resumindo: trate-o como se trata uma criança enjoada que ele é e aí, se Deus permitir, quem sabe um dia ele se tornará uma pessoa madura e proba.

(2)
Com certeza muitas almas tremeram quando Temer disse que procurará realizar a “democracia da eficiência” em seu curto governo. Assim espero. Que ele faça isso e que os sicofantas ideologizados tremam.

(3)
Com a saída de Dilma irá mudar muita coisa em nosso país? Já mudou. Ela saiu. Esse não deve ser o único, mas, sem dúvida, é um importante passo.

(4)
Ministérios e secretarias de cultura são antros que geralmente reúnem uma horda de pessoas que não tem o menor amor pela tal da CULTURA.

(5)
Quando não mais somos confiáveis, nada mais somos. Quando não temos mais nada em que depositar a nossa confiança, nada mais podemos ser.

(6)
Estudantes de letras, futuros professores, agrediram física e verbalmente um colega, de grisalhos cabelos, por estar vestindo uma camiseta com uma estampa do rosto de Jair Bolsonaro. Esses futuros educadores - de deformada inteligência e decadente senso de moralidade - são a cara da pátria educadora, os pútridos frutos do patrono da educação brasileira e um resumo do que os comuno-larápios entendem por convivência democracia.

(7)
Um pequeno lembrete. Não de minha algibeira, mas do alforje de Napoleão. Diz-nos ele: “que importa o número dos regimentos que o inimigo vos opõe, se vós fordes sempre o mais forte no ponto em que ele é mais fraco?”

Trocando por miúdos: atualmente a maioria avassaladora da população está contra o comuno-petismo; mas esses, a comunada, ainda é muito forte nas entranhas do Estado brasileiro e nas entidades sociais que lentamente foram ocupadas por eles no correr das últimas décadas.

Ou seja: é urgente tornarmo-nos fortes nesse ponto que eles ainda têm uma forte penetração e, tal fortalecimento, não ocorrerá da noite pro dia.

Resumindo: há ainda muito, muito trabalho pela frente.

(8)
Dilma caiu. O PT também. Porém, o modo marxista de ver e julgar tudo e todos ainda estão, e continuarão, por algum tempo, entranhados na alma brasileira.

A batalha continua, e continuará por muitas e muitas décadas e deve, principalmente, ser travada em nossa alma, em nosso coração, para lapidar a nossa maneira de ver e compreender a realidade.

Enfim, que a força esteja conosco para podermos subjugar o lado vermelho da força.

(9)
Quem não está disposto a se surpreender com as verdades que podem ser apresentadas às suas vistas no ato de conhecer é um idiota ideologizado completo, sem nada por, sem nada tirar. E assim o é porque imagina saber tudo sem nunca ter conhecido nada direito. Nem mesmo o próprio umbigo.

(10)
É no silêncio que me encontro; é nele que realizo o meu ser. No tumulto não me encontro; é nele que forjo o meu caráter.

(11)
Todo revolucionário é um pervertido de marca maior que opta por subverter tudo pra não ter que negar os seus egocêntricos delírios.

(12)
Queixar-se, fazer-se de vítima de tudo e, por isso, ser chamada de coração valente é um claro sinal de perda do senso das proporções; ou, no mínimo, uma grotesca piada.

(13)
Se Michel Temer realmente for fazer tudo o que anunciou, ele corre o risco de tornar-se o Mauricio Macri brasileiro. Tomara que sim.

(14)
Não queira, jamais, chamar a atenção para sua pessoa. Queira sim, sempre, chamar a sua pessoa para ação, para a realização do que está ao seu alcance.

(15)
Peregrinamos por esse vale de lágrimas, ladeados por anjos e demônios.

(16)
O grande poder do movimento comunista reside no desprezo, na ignorância presunçosa que as pessoas manifestam frente a sua estratégia de longo prazo.

(17)
Numa democracia toda idiotice é possível. Numa ditadura totalitária apenas algumas idiotices são permitidas e somente um idiota é compulsoriamente idolatrado.

(18)
Um novo movimento social está sendo gestado no Brasil. É o movimento da vanguarda parasita revolucionária dos sem teta. Um movimento federal.

(*) professor e cronista.

Comentários