NOTAS, ANOTAÇÕEZINHAS E BORRÕES

Por Dartagnan da Silva Zanela (*)

(1)
Nós não somos mal educados não senhor; apenas nos recusamos a ser subservientes. Só isso. Se vier com asneiras pedantes leva patada mesmo.

(2)
A esquerda é assim: quer o monopólio do discurso, do paternalismo, do assistencialismo e a exclusividade no mimimi - engajado, é claro.

(3)
CPMF no do povo é refresco pra incompetência petralha; agora cortes nos gastos dispendiosos do Estadossauro ardem nos olhos da canalhada.

(4)
Um sistema educacional que estreita a visão, o horizonte do indivíduo, amesquinhando-o ao invés de dignificá-lo, é pedagogice, não educação.

(5)
Todo caipora que quer parecer muito limpinho não passa de um canalha afetado, um carentão que precisa desesperadamente dos afagos da multidão para que seu ego não desespere, não tome consciência de sua patética condição.

(6)
Humilhar um canalha é um ato de misericórdia. Sim, um gesto de piedade para com o biltre e, principalmente, para com todos aqueles que o idolatram. Infelizmente, essa é a única forma de chamá-los de volta para a realidade.

(7)
Um traço característico dos medíocres e incapazes é o de ficarem achando rusgas e arestas com todos e em tudo - colocam defeitos até mesmo na sombra do sinamão. Essa gente age assim para sentirem-se portadores de alguma importância, mesmo que seja a relevância de uma pedra no sapato porque, se não for assim, esse tipinho de gente jamais se destacará em algo, haja vista que o seu talento reside exclusivamente em sua medíocre incapacidade.

(8)
Não sei de quem tucanos enrustidos como o Reinaldo Azevedo tem mais medo; se é do Olavo de Carvalho ou de Jair Bolsonaro.

(9)
Cachorro que muito late não morde. Não morde porque está com medo. Muito medo mesmo. Por isso ele late. Late pra ver se consegue com sua histeria canina defender-se única e exclusivamente na base do susto assustado.

(10)
O que falta aos cidadãos de bem pra tomarem de vez as rédeas do destino de nossa pátria é um pouco da ousadia que tanto sobra aos canalhas.

(11)
Dizer para uma pessoa que ela é vítima de tudo e de todos, que ela foi injustiçada pela sociedade e pela história, não irá elevá-la, nem fazer as outras pessoas reverenciá-la; apenas dar-se-á para ela uma justificativa para que possa sentir-se e agir feito um coitadinho intoxicado de autopiedade. Esse tipo de bom-mocismo apenas degrada os indivíduos ao invés de dignificá-los.

(12)
Burocracia é tal qual sal na comida: na devida medida, realça o sabor dos alimentos; se a mão pesa, corrompesse o sabor e agride o paladar.

(13)
É fácil fazer 'caridade' com chapéu alheio como fazem os populistas; agora, prestar contas da lambança ao dono do chapéu é outra história.

(14)
Vingança é sempre uma coisa perigosa. Seu fogo sempre devora aquele que a arquiteta. O perdão, por sua deixa, não é empreitada fácil, porque, frequentemente, é pago com a ingratidão do perdoado.

(15)
O partido da ética, estando no poder, revelou a todos que tem a excelência inconteste da canalhice. Ninguém pode com ele nesse quesito.

(*) professor e cronista.

Comentários