domingo, 29 de maio de 2016

RISCOS, RABISCOS E BORRÕES

Por Dartagnan da Silva Zanela (*)

(1)
Uma nação civilizada preserva a sua história e a sua memória; o Brasil, em sua barbárie, destrói o seu patrimônio e enxovalha a sua memória.

(2)
Nos tempos Imperiais, o Parlamento brasileiro era uma escola de Estadistas; com a República, em especial hoje, apenas uma mesa de negócios.

(3)
A República brasileira é uma fraude, a sua proclamação foi um golpe e a sua continuidade um embuste que ilude o povo chamando-o cidadão.

(4)
Antigamente todo sujeito batia no peito pra assumir sua culpa; hoje ninguém é tido como bom pra todos sentirem-se livres de suas responsas.

(5)
O culto hedonista, a transformação do desejo em fonte de direito e de identidade, é o grande responsável pela degradação moral reinante.

(6)
Sem nos tocar, dia após dia, estamos garantindo o nosso lugar na história como a sociedade que não economiza pra ser originalmente ridícula.

(7)
As palavras têm o poder dum feitiço nas almas que tem seus pés distanciados do real; elas enfeitam nossas alucinações com tolices verbais.

(8)
O fundamental numa discussão que se queira séria não é ser ou não partidário, mas sim, ter honestidade intelectual; ser a favor da verdade.

(9)
É simples assim: não se para um homem mau com "diálogo". Um mau urdido somente é freado por um bom armado. Todo o resto é colóquio flácido.

(10)
Você que fica com essa carinha de indignação fingida, com esse papo de cultura do estupro, por acaso sabe o que é o tal do marxismo cultural?

(11)
Como caipira que sou, cresci sabendo que quem bate em mulher é covarde, que não se toca numa nem com rosas. Isso é a tal cultura do estupro?

(12)
Antes de vir com esse papo de cultura do estupro, acusando todos de serem estupradores, converse com seu pai sobre isso pra ver o que ele diz.

(13)
Considero louvável a compaixão para com monstros, desde que o carniça bonzinho primeiro leve-o pra sua casa para ressocializá-lo com os seus.

(14)
Heróis não são necessariamente homens bonzinhos, nem docinhos de coco politicamente corretos. São almas que ousam fazer o que é necessário.

(15)
Se houvesse um Batman por quarteirão e um Punisher em cada bairro não existiria estuprador cantando de galo, nem 70.000 homicídios por ano.

(16)
Galera dos direitos dos manos, por favor, queiram explicar para as vítimas dum estuprador - e para os pais da vítima - as suas ideiazinhas.

(17)
Há uma linha limite que, quando ultrapassada, desfigura a humanidade. Qualquer um que não entenda isso é um hipócrita, um sepulcro caiado.

(18)
Estuprador não é gente. É um monstro. Todos sabem disso - até os bandidos. Só a turma dos direitos dos manos não está convencida desse fato.

(19)
O tempo não é tudo, mas o seu bom uso é imprescindível para que possamos realizar o que é indispensável para vivermos dignamente nossa vida.

(20)
Esquerdopatas são uns fofos mesmo. Instigam a violência 3 por 4 e depois se fazem de vítimas com aquela cara deslavada. É pra acabar mesmo.

(21)
Todo corpo se desfaz; um dia ao pó ele, com seus apetites, retornará. A alma seguirá seu rumo, que não é a poeira;é a eternidade, a verdade.

(22)
Tornar-se militante - engajadíssimo numa ideologia totalitária - não é sinônimo de criticidade, nem atesta a vivência do espírito acadêmico.

(23)
Chiqueza pode até ser sinal de 'bom gosto', mas não significa que o indivíduo seja distinto culturalmente porque afetação não é nobreza.

(24)
Cultura não é um trem que se ostenta como um badulaque de aceitação social; cultura é aquilo que reflete o que há - de melhor - em sua alma.

(25)
Uma coisa é uma formação superior, outra bem diferente é uma (de)formatação ideológica devidamente diplomada e reconhecida pelo Estadossauro.

(26)
A cultura reflete o estado de espírito dum povo. Olhando as produções culturais brazucas dá pra ter uma noção da baita encrenca que estamos.

(27)
Não sou, de modo algum, contra cultura não. O que me causa repulsa é ver gente que chama uma convicção ideológica turva de cultura nacional.

(28)
Faz uma cara que o Museu do Ipiranga fechou pra reforma; outros simplesmente fecharam. Eis aí o fruto do grande amor Estatal pela cultura.

(29)
Lembra da jovem que foi morta enquanto ia fazer uma surpresa pra mãe? Pois é, alguém nervoso politicamente correto disse algo sobre o caso?

(30)
A esperança as vezes pode ser um presente tragicamente cruel. No Brasil muitas vezes ela é uma brincadeira de mau gosto; uma gozação cínica.

(31)
Alguns são somente humanos, outros são mais humanos que alguns. Há aqueles que têm direitos dos manos e uns pares com imunidade parlamentar.

(32)
Para bom entendedor, um simples twitter basta.

(33)
Minhas divergências com o marxismo não são tão somente intelectuais; são existenciais. Esse trem fuçado é um engodo em seus fins e meios.

(34)
Jamais queira ser agradável com um canalha. Procedendo assim, acabamos por iludir o biltre; fazemos ele imaginar ser um menino decente.

(*) professor e cronista

quarta-feira, 25 de maio de 2016

ENTRE HERÓIS E BONS-MOÇOS

Por Dartagnan da Silva Zanela (*)

(1)
Herói é aquele que faz o que é necessário sem desejar ser glorificado; o faz ciente de que os medíocres acomodados sempre irão condená-lo.

(2)
O medíocre incompreende a natureza dum ato heroico porque seu coração é incapaz de reconhecer nada que se apresente acima de sua baixeza.

(3)
O herói, por definição, é aquele que se auto-sacrifica pra preservar a integridade de pessoas que, muitas vezes, jamais lhe serão gratas.

(4)
Herói é aquele que faz algo, muitas vezes desagradável, por amor ao próximo. O cretino é alguém que faz o que convêm por puro amor próprio.

(5)
A coragem abnegada sempre causa desconforto nos pusilânimes porque os humilha, revela a sua frivolidade e estoura o seu bom-mocismo afetado.

(6)
Onde há uma alma, digna ou não, fazendo algo pra salvar um inocente, sempre há um punhado de medíocres para condená-la e desmerecê-la.

(7)
Os Estatólatras acreditam candidamente que o Estado deve nos garantir tudo, mesmo estando cientes de que suas garantias não valem nada.

(8)
Inexistem heróis imbuídos de bom-mocismo simplesmente porque tal impostura moral é capaz apenas de gerar pusilânimes afetados.

(9)
O herói, seja quem for, faz o que é necessário não para ser ovacionado pelos medíocres, mas sim, para socorrer aos inocentes abandonados.

(10)
Se não fosse um bando de lordes justiceiros jamais a Magna Carta inglesa teria sido escrita e assinada pelo rei João Sem Terra.

(11)
Tudo que o pusilânime faz é para aparentar o quanto ele é uma pessoa “boazinha” ao mesmo tempo em que ele ignora totalmente o que o bem é.

(12)
Uns realizam algo acima da mediocridade geral por considerarem isso um dever moral; outros fazem apenas o que é medíocre pra poder aparecer.

(13)
Ignorar a existência do mal e negar-se a combatê-lo com todas as forças de nossa alma é uma forma ímpar de embrutecimento espiritual.

(14)
Sou madrugador, tal qual D. Quixote; esforçando-me para estar à altura da grande personagem de Dumas e pra não tornar-me uma figura kafkiana.

(15)
Os idiotas sempre reprovam a grandeza de caráter por não compreender o que leva uma alma a não ser e a não agir como um idiota feito ele.

(16)
O politicamente correto é ofensivo e imoral com seu bom-mocismo fingido, regrando os olhares e falas de todos na medida de seu cinismo.

(*) professor e cronista.

PARAFRASEANDO O VENTO

Por Dartagnan da Silva Zanela (*)

(1)
Descartes dizia: penso, logo, existo. Mas ele não precisa primeiro existir pra poder pensar e, inclusive, pra poder ser capaz de dizer isso.

(2)
Quando lemos Kant nós estamos tendo contado com o nôumeno de sua obra ou apenas com uma aparência fenomênica de seus pensamentos?

(3)
O entendimento que tenho da obra de Kant será a compreensão de seu sistema em si ou apenas um juízo a priori de minha parte?

(4)
Se tudo é apenas aparência fenomênica, a obra de Kant, que procura nos revelar a realidade em si, não seria apenas uma aparência fenomênica?

(5)
Uma coisa é oposição; outra, bem diferente, é revanchismo ideológico; obstrução do bem do país com as mesquinharias dum partido totalitário.

(6)
O caipora que mais ama o PT é o FHC. Basta acontecer algo de mais duro com a sigla que o sociólogo lamenta. Eles se merecem. O Brasil não.

(7)
A cultura nacional entrou numa onda que só por Deus. Entretanto, você já parou pra prestar a devida atenção no rumo/turvo de nossa educação?

(8)
Pra cada herói anônimo e abnegado que procura fazer na medida de suas forças o que é necessário há uma chusma de medíocres para condená-lo.

(9)
As palavras têm, nas almas distraídas, um efeito hipnótico, levando-as a defenderem o indefensável sem se flagrar do ridículo assumido.

(10)
Um dos piores hábitos que infectam a mentalidade atual é o de acatar teorias e ideias sem confrontá-las com a dura realidade dos fatos.

(11)
Existem os humanos, os direitos humanos, os manos e os defensores desses que os colocam acima de todos por simplesmente serem manos.

(12)
Uns fazem o que é certo, mesmo que o condenem por isso. Outros vivem o erro e para o erro por pegar bem.

(13)
Nada mais claro, nada mais simples e direto do que essa observação feita pelo professor Olavo de Carvalho. Diz-nos ele: “Opinar sobre o curso das coisas políticas sem o devido preparo teórico é como tentar aprender engenharia brincando de Lego”. Pois é, o Brasil está cheio de gente sabida que pensa e age assim. Gente essa devidamente diplomada; é claro.

(14)
Democracia no Brasil é um sistema de conciliação e reconciliação de oligarcas que falam em nome do povo ignorando a existência das pessoas.

(15)
Quem quer que defenda um projeto de reconciliação com bandidos não procura justiça; quer apenas defender sua malícia com a leniência da lei.

(*) professor e cronista.

terça-feira, 24 de maio de 2016

A AUSÊNCIA DE NORMA É A REGRA

Por Dartagnan da Silva Zanela (*)

(1)
A pedra angular do conhecer é o amor, o auto-sacrifício daquele que aprende em favor do que será aprendido para que esse integre a sua alma.

(2)
O centro da aprendizagem não é o professor, nem no aluno. O centro está no que será ensinado e aprendido. O contrário disso é pura vaidade.

(3)
Tem gente que pediu pra ser inconveniente e deu eco. Tocar-se de suas mancadas e bolas-foras é algo que não é encontrado em seu vocabulário.

(4)
Não espere tornar-se ético para agir corretamente. Procure agir com correção e, tal atitude o tornará uma pessoa digna, prestativa e boa.

(5)
Não queira primeiro ser Santo pra depois agir piedosamente. Esforce-se para agir piamente mesmo não o sendo e, com o tempo, tornam-se um.

(6)
Colabore com a Graça divina e Ela far-se-á abundante em suas obras. Aliás, Ela está em tudo, sempre, nós é que nos recusamos a reconhecê-la.

(7)
Hipócrita! Quem não é? A diferença é que uns envergonham-se de sê-lo e crescem moralmente por isso. Outros são apenas o que são. Hipócritas.

(8)
Não se queixe da vida. Viva-a. Enfrente os desafios no limite de suas limitações, sorria quando for possível e siga sem olhar para trás.

(9)
Todos podem filosofar da mesma forma que todos devem comer. Porém, nem todos podem ser filósofos da mesma forma que nem todos sabem cozinhar.

(10)
A vida humana é drama. Por isso, conhecesse o caráter do protagonista de uma vida de acordo com o modo que ele vive o seu drama pessoal.

(11)
Um sistema educacional que elege a destruição da meritocracia como norte só pode colher frutos putrefazes, dignos duma "pátria educadora".

(12)
Quando duvido e questiono tudo e todos tendo como sólido apenas meus pensamentos, não significa que estou filosofando, mas sim, endoidando.

(*) professor e cronista.

segunda-feira, 23 de maio de 2016

É PRECISO QUE SEJA DITO

Por Dartagnan da Silva Zanela (*)

(1)
Temer deu a impressão que seria um Macri à brasileira. Ledo engano. Ele, numa semana, revelou ser apenas o vice da Dilma que assumiu. E só.

(2)
Brasília deveria ser um grande cassino. Essa é sua vocação. A capital deveria voltar a ser o Rio; o governo tem de estar próximo da pressão.

(3)
Duas semanas a fio [de]compondo com a gripe uma sinfonia de rouquidão, espirros, tosses e muita secreção sendo evacuada pelas ventas.

(4)
O carniça canhoto quanto mais engajadinho é mais afetadinho se torna; quanto mais amaneiradinho ele se apresenta, mais alienado fica.

(5)
Pedagogia do oprimido é, em essência, um manual marxista travestido de inovação em matéria de educação, que a transmuta em reles doutrinação.

(6)
Penso às vezes: Deus do Céu! Meus alunos dão-me uma atenção maior do que me é devida; sou abençoado por uma generosidade por mim imerecida.

(7)
Dilma está fora, mas os fatos recentes atestam que a hegemonia esquerdista continua a todo vapor. Só não vê isso quem é ideologicamente míope.

(8)
Não é que a Venezuela esteja passando por uma grave crise; ela está colhendo os pútridos frutos duma ideologia demente elevada à razão de Estado.

(9)
Testar. Correr o risco de acertar ou de errar. Essa é a base de qualquer investigação séria. Negar-se a isso é apenas ignorância presunçosa.

(10)
Educar é munir o indivíduo com saberes que permitam a ele elevar-se em espírito e verdade. Doutrinação ideológica é o contrário de escola.

(11)
Que Deus abençoe todos aqueles que abnegadamente ensinam e aprendem bem para fazer o bem; para livrar-se de todas as sandices ideológicas.

(12)
Toda vez que uma ideologia substitui a educação uma tragédia está sendo anunciada indiscretamente. Quem não vê está comprometido ou é tolo.

(*) professor e cronista.

domingo, 22 de maio de 2016

PALAVRA POR PALAVRA

Por Dartagnan da Silva Zanela (*)

(1)
Chamam petulantemente de golpista e fascista todos aqueles que ousam levantar a cabeça e a voz contra a sanha totalitária petista.

(2)
Sr. PRESIDENTO, quando o povo disse que cansou da petralhada ele não disse que queria ver outra palhaçada. Disse que queria o fim da esbórnia.

(3)
Uma atriz disse que vagabundo é quem trabalha oito horas por dia. Pois é. Gente assim é que diz representar a cultura e o povo brasileiro

(4)
No início da semana Temer se apresentou como sendo o Tigrão que iria fazer uma baita gestão e, ao final da dita, revelasse um Sr. amarelão.

(5)
No momento que Dilma foi afastada, estava eu numa livraria.Para ler e pra não esquecer do dia, comprei o livro AMOR E VIDA de Thomas Merton.

(6)
Machado de Assis era um poeta menor? Em relação ao prosador Machado de Assis, sim, ele era. Frente aos demais poetas, de modo algum.

(7)
Verdade seja dita: Temer afinou rápido de mais pra patrulha vermelha numa questão miúda. Provavelmente afinará também nas questões maiores.

(8)
Bastou a tigrada fazer uma serenata de mimimi e bater o pesinho num showzinho de rua para que a ousadia de Temer findasse bem rapidinho.

(9)
O café não é tudo na vida, mas uma vida sem café não é nada.

(10)
Antes de dar um palpite sobre economia é interessante adquirir alguma experiência no ramo. Administrar bem a própria vida é um bom começo.

(11)
Qualquer pessoa pode abrir um negócio; alguns são capazes de administrar o dito cujo; porém, poucos tornam-se aptos a serem exitosas nisso.

(12)
Chamar sua convicção ideológica de arte não passa dum embuste cínico. Viver disso, via recursos estatais, é pura e simples picaretagem.

(*) professor e cronista.

REFLEXÕES EM GOTAS

Por Dartagnan da Silva Zanela (*)

(1)
George Orwell escreveu A REVOLUÇÃO DOS BICHOS. Na condição dum reles caipira escrevinhante, penso em escrever, um dia, A ELEIÇÃO DOS ANIMAR.

(2)
Santo Agostinho filosofava a partir dum 'eu' historicamente constituído, que se torna ciente de si por tornar-se consciente de sua pecaminosa condição. Descartes, por sua deixa, filosofava a partir dum 'eu' abstrato, racionalizado, que aliena-nos do nosso eu histórico por acreditar que seu 'eu' pensante hipotético seria a única certeza inabalável da realidade.

(3)
Santo Agostinho afirmava que tomamos ciência de sua existência na medida em que tomamos consciência de nossos enganos, de nossos pecados. Descartes, por sua deixa, tinha certeza de sua existência por crer que a abstração de seus pensamentos seriam o fundamento de sua existência.

(4)
Se me engano, existo; se existo, penso e, por isso, me engano, porque existo.

(5)
Quando o caipora quer resolver os problemas políticos/sociais de seu rincão sem antes ter ousado dar um rumo em sua vida é porque tem treta.

(6)
Quando o carniça não deu ponto em nada na vida ele já encontrasse pronto e preparado pra legislar em nome do povo ou para governá-lo.

(7)
Uma coisa é amarmos o próximo, outra bem diferente é respeitarmos as opiniões equivocadas de outro mais do que amamos a verdade.

(8)
Onde não há amor pela verdade, não há debate; há apenas uma assembleia de presunçosos inconscientes trocando palavras ocas por opiniões tolas.

(9)
O que irrita a esquerda canalhocrática não é que exista uma direita, mas que ela ouse opor-se a ela dizendo-lhe meia-dúzia de verdades.

(10)
O carniça tem que ser muito tapado, muito canalha, ou ambas as coisas, justas e misturadas, pra defender a ditadura do [podre de]Maduro na Venezuela.

(11)
O filme O RATO QUE RUGE é um clássico. O [podre de]Maduro nem rato consegue ser; nem rugir. Apenas covardemente espolia seu povo. Um fiasco.

(12)
O [podre de]Maduro é ridiculamente cínico, já os companheiros brazucas que defendem-no como se fosse um democrata são cretinos descarados.

(*) professor e cronista.

sexta-feira, 20 de maio de 2016

[áudio] PROGRAMA AVE MARIA, 19 de maio de 2016.

Apresentação: Dartagnan da Silva Zanela


NOTAS, ANOTAÇÕEZINHAS E BORRÕES

Por Dartagnan da Silva Zanela (*)

(1)
Nós não somos mal educados não senhor; apenas nos recusamos a ser subservientes. Só isso. Se vier com asneiras pedantes leva patada mesmo.

(2)
A esquerda é assim: quer o monopólio do discurso, do paternalismo, do assistencialismo e a exclusividade no mimimi - engajado, é claro.

(3)
CPMF no do povo é refresco pra incompetência petralha; agora cortes nos gastos dispendiosos do Estadossauro ardem nos olhos da canalhada.

(4)
Um sistema educacional que estreita a visão, o horizonte do indivíduo, amesquinhando-o ao invés de dignificá-lo, é pedagogice, não educação.

(5)
Todo caipora que quer parecer muito limpinho não passa de um canalha afetado, um carentão que precisa desesperadamente dos afagos da multidão para que seu ego não desespere, não tome consciência de sua patética condição.

(6)
Humilhar um canalha é um ato de misericórdia. Sim, um gesto de piedade para com o biltre e, principalmente, para com todos aqueles que o idolatram. Infelizmente, essa é a única forma de chamá-los de volta para a realidade.

(7)
Um traço característico dos medíocres e incapazes é o de ficarem achando rusgas e arestas com todos e em tudo - colocam defeitos até mesmo na sombra do sinamão. Essa gente age assim para sentirem-se portadores de alguma importância, mesmo que seja a relevância de uma pedra no sapato porque, se não for assim, esse tipinho de gente jamais se destacará em algo, haja vista que o seu talento reside exclusivamente em sua medíocre incapacidade.

(8)
Não sei de quem tucanos enrustidos como o Reinaldo Azevedo tem mais medo; se é do Olavo de Carvalho ou de Jair Bolsonaro.

(9)
Cachorro que muito late não morde. Não morde porque está com medo. Muito medo mesmo. Por isso ele late. Late pra ver se consegue com sua histeria canina defender-se única e exclusivamente na base do susto assustado.

(10)
O que falta aos cidadãos de bem pra tomarem de vez as rédeas do destino de nossa pátria é um pouco da ousadia que tanto sobra aos canalhas.

(11)
Dizer para uma pessoa que ela é vítima de tudo e de todos, que ela foi injustiçada pela sociedade e pela história, não irá elevá-la, nem fazer as outras pessoas reverenciá-la; apenas dar-se-á para ela uma justificativa para que possa sentir-se e agir feito um coitadinho intoxicado de autopiedade. Esse tipo de bom-mocismo apenas degrada os indivíduos ao invés de dignificá-los.

(12)
Burocracia é tal qual sal na comida: na devida medida, realça o sabor dos alimentos; se a mão pesa, corrompesse o sabor e agride o paladar.

(13)
É fácil fazer 'caridade' com chapéu alheio como fazem os populistas; agora, prestar contas da lambança ao dono do chapéu é outra história.

(14)
Vingança é sempre uma coisa perigosa. Seu fogo sempre devora aquele que a arquiteta. O perdão, por sua deixa, não é empreitada fácil, porque, frequentemente, é pago com a ingratidão do perdoado.

(15)
O partido da ética, estando no poder, revelou a todos que tem a excelência inconteste da canalhice. Ninguém pode com ele nesse quesito.

(*) professor e cronista.

O ÓBOLO DA VIÚVA

Por Dartagnan da Silva Zanela (*)

(1)
É só no Brasil mesmo que organizações não governamentais vivem faceiras da vida de verbas governamentais.

(2)
Em breve teremos uma multidão marchando pelas ruas. Uma nova vanguarda “social” despontará. O MSTE – Movimento dos sem teta estatal.

(3)
Por que muitas pessoas acham lindo serem usurpadas tributariamente pelo Estadossauro? Talvez, penso eu, porque para muitos o problema não é ser afanado compulsoriamente, mas sim, reconhecer o fato. Como o assalto estatal tem outro nome, e é dito que o mesmo é feito em nome duma boa causa, muitas pessoas não dão muita pelota para o ocorrido. Na verdade, essas almas agem de modo similar ao corno que não se importa muito em ser traído por sua amada desde que ele não fique sabendo o que está sendo feito, como direi, pelas suas costas. Se ele for feito de bobo, fica tudo limpo.

(4)
A arena política deve ser, penso eu, avaliada ao menos em dois planos: um de curto prazo e outro de longo prazo. Quem ignora o segundo, dando uma excessiva ênfase ao primeiro, acaba sendo feito de trouxa por aquele age no primeiro, com vistas à realização de algo bem maior no segundo.

(5)
A pergunta que não quer calar: porque tanto petistas quanto tucanos têm tanta, mas tanta aversão a Jair Bolsonaro? O que os une nessa causa?

(6)
Uma coisa é procurar observar a realidade como ela se apresenta diante de nós, outra, bem diferente, é vê-la a partir duma abstração.

(7)
De tanto ver a realidade pelas lentes duma ideologia o indivíduo acaba suprimindo as impressões autênticas da realidade e substituindo-as pelos esquemas de sua mente ideologicamente adoecida.

(8)
Quando o senso literário fenece, nós desaprendemos a dizer, a narrar o que vemos e, consequentemente, limitamos significativamente a nossa capacidade de pensar com clareza aquilo que está diante de nossos olhos.

(9)
A forma mais eficaz de alienar uma pessoa é enfatizar, reiteradamente, o significado social e político (ideológico) das obras literárias ignorando tudo o mais que há nelas.

(10)
Quem em tudo vê ideologia, quem em tudo enfatiza as suas convicções ideológicas, é incapaz de cultivar uma centelha que seja de sabedoria.

(11)
Quem não sabe diferenciar caridade individual de assistencialismo estatal, bem provavelmente não sabe a diferença que há entre uma panela e um penico.

(12)
Pra ser muitíssimo franco, se realmente desejamos melhorar a educação, deveríamos abandonar de vez toda essa patacoada da lavra de Paulo Freire e bem como todo esse disparate pedagogesco marxistoide que infecta os ares escolares brasileiros e nos fiar na leitura de algo mais edificante como as Aventuras de Sherlock Homes de Sir Conan Doyle ou uma e outra peça de William Shakespeare. Pode ter certeza que essas leituras te farão mal algum. Elas ampliarão significativamente a sua compreensão sobre a natureza humana – se você não ficar naquela firula mequetrefe de analisar ‘criticamente’ o texto dos referidos autores - e, acima de tudo, lhe propiciarão um profundo deleite.

(13)
Onde a mediocridade e a mesquinharia reinam não há espaço para que nada ouse se elevar um tiquinho que seja acima da baixeza.

(14)
Quais são os compromissos firmados por você consigo mesmo? Quais são os compromissos eternos de sua alma? Pois é, eis aí a preocupação central de nossa vida.

(*) professor e cronista