TODO MUNDO ENDOIDOU DE VEZ

Por Dartagnan da Silva Zanela (*)

(1)
O que mais espanta nas conversas de Lula – que foram devidamente grampeadas e divulgadas – é que ele em nenhum momento diz coisas como “por favor” ou “muito obrigado”. O homem é seco no mandar. Quanto à gentileza, essa passa longe de seu jeitão que, por sua deixa, muito nos revela sobre que tipo de homem ele é.

(2)
Se alguém, num buzão, não sabe respeitar um bebê de colo e um idoso, não adianta pedir para que respeite os demais. É inútil. E assim o é porque pedir isso para alguém que não tem educação doméstica, nem vergonha na cara, é como a pedir a um porco para que não arrote junta à mesa. Enfim, gente desse naipe acha bonito ser um inconveniente. Na verdade, é a única coisa que são. É apenas isso que eles têm “de bom” pra mostrar.

(3)
Não adianta exigir respeito de quem não tem vergonha na cara.

(4)
O bom estudante não é aquele que concorda servilmente com seu ensinador, nem aquele que, de maneira ranheta, discorda de tudo que seu mestre diz e pensa. Bom estudante é aquele que procura entender o que seu professor está ensinando, e o que ele está fazendo em sala de aula, antes de cogitar a possibilidade de aderir ou divergir dele.

(5)
Quem controla o parlamento brasileiro não é a legenda, ou a bancada, que têm o maior número de parlamentares, mas sim, aquele grupo que têm meios para negociar e adquirir o apoio dos biltres engravatados.

Traduzindo: o PMDB, juntamente com os partidos nanicos, não são forças políticas determinantes do quadro político atual, mas sim, instrumentos que podem ser adquiridos por aqueles que de fato são as forças políticas reais que podem aglutiná-los em seu entorno, não por apresentarem afinidades programáticas, mas apenas por ter em mãos os meios necessários para realizar uma vil barganha.

(6)
O grande mérito de Paulo Freire foi ter ensinado a todos os ignorantes presunçosos que a responsabilidade pela sua desídia cognitiva não é sua, mas sim, da elite, do sistema e da burguesia. Porém, se a estupidez for engajada e diplomada ela passa a ser outra coisa. Ela torna-se [estupidez] crítica.

(7)
Quando um carniça diz que tem uma consciência crítica o que ele está querendo dizer é que ele considera o seu rancor, inveja e vitimismo histriônico virtudes civicamente respeitáveis. Ou seja: é um carniça mesmo.

(8)
Todo o aprendizado é uma questão de sermos capazes de ousar tomar uma decisão. Sem uma boa dose de ousadia para conhecer, nossa inteligência paralisa.

(9)
Uma alma indecisa caminha, num passo firme, rumo para sua estupidificação voluntária.

(10)
Há certos carniças que não tem um pingo de vergonha nas ventas. São tão desavergonhados que acreditam sinceramente que as suas atitudes impudicas são admiráveis. Bem, confesso que fiaria admirado se esse tipinho rasteiro de gente sem valor agisse de maneira diferente.

(11)
Os desavergonhados não apenas incomodam as pessoas trabalhadoras com os seus disparates petulantes. Essa raça vil está junto do governo de nosso triste país e de muitos dos nossos infelizes municípios, parasitando o suor do povo trabalhador que eles fazem tanta questão de incomodar.

(12)
Chamar uma pessoa sem vergonha na cara daquilo que ela é, definitivamente, é uma perda de tempo. A caipora é bem capaz de rir na sua frente e sair se gabando do insulto, achando bonito, tamanho o poço de vulgaridade que é esse tipo rasteiro de gente.

(*) professor e cronista.

Comentários