PERSEVERAR É A REGRA

Por Dartagnan da Silva Zanela (*)

(1)
Todo caminho é encurtado quando a jornada é iniciada com perseverança. Toda via torna-se extenuante quando a viagem é feita sem propósito. Por fim, toda marcha não iniciada não é e jamais será um caminho.

(2)
Os indivíduos que tem sua alma imersa no licor do medo são comandados por aqueles que têm seu olhar embebido no vinho da ousadia.

(3)
Jamais esqueçamos a advertência que nos foi feita por José Bonifácio, cujas palavras ecoam pelos séculos e que nos lembram o óbvio ululante de que uma verdade muda inevitavelmente introduz uma vil tirania.

(4)
Tudo que não segue uma formalidade tradicional é, por si mesmo, uma negação do humano, porque tudo aquilo não tem figura é, por definição, disforme.

Combater uma formalidade tradicionalmente instituída pode até ser uma manifestação justa, todavia, na maioria esmagadora dos casos, não passa de uma impertinente mostra de soberba histericamente inconfessa.

(5)
Onde a prudência não encontra morada a demência instaura o seu soberbo reinado.

(6)
Quando a prudência não é o leme da ação, o rumo da jornada torna-se inconsequente. E assim o é porque as ações não são realizadas de modo ponderado e refletido.

Por leviandade, acabamos nos julgando detentores duma sabedoria que, de fato, não possuímos, ao mesmo tempo em que desdenhamos a sabedoria que se encontra latente em tudo que nos foi legado pelas gerações que nos antecederam e, fazemos isso, simplesmente porque nós, em nossa soberba, achamos que tudo está errado, não porque isso ou aquilo seja injusto, mas sim, por nos sentirmos desconfortáveis com tudo e com todos e, por isso, preferimos imaginar que o erro encontra-se em outrem; nunca e em nós.

Em fim, por essas e outras que quando a prudência não é o leme da ação, o rumo da jornada torna-se inconsequente. Em alguns casos, demasiadamente inconsequente.

(7)
Um líder que aberta e cinicamente diz que lava as mãos frente aos problemas gerados pela sua porca direção não passa de um usurpador da dignidade de seus liderados.

(8)
Meios utilizados para a concreção de fins que não são condizentes com a natureza dos mesmos acabam pervertendo tudo o que está em seu em torno, inclusive e principalmente o agente que os emprega indevidamente.

(9)
Há apenas uma questão que importa; a questão que importa é aquela que incomodava Guimarães Rosa. Todo o resto não passa de trelelê.

(10)
Aquele que não sabe conter e controlar os seus ódios não está apto a dedicar-se a arte da boa governança.

(11)
Não são poucos os que se queixam de que a vida é breve demais, porém, os mesmos são os primeiros a desperdiçar boa parte de seus dias com as mais tolas futilidades.

(12)
A formosura ou a deformidade duma alma veem-se claramente estampada nos olhos. Basta saber mirar no olhar para ver o que há além da abertura da janela do ser.

(*) professor e cronista.

Comentários