ATÉ QUE O TINTEIRO SECAR

Por Dartagnan da Silva Zanela (*)

(1)
Acredite no que quiser. Em qualquer sandice, na mais tola das estultices. Você pode fazer isso, sim senhor, porque consciência é sua, porém, não se esqueça: a responsabilidade por suas crenças e crendices também é sua. Todinha ela.

(2)
Desconfie de todos aqueles que fazem pose de santarão na arena política. Não se esqueça que quem a si exalta não carrega em seu coração nada digno de glorificação. Resumindo: se o caipora diz ser o baluarte da ética, da honestidade ou a própria imagem encarnada de uma nova política limpinha e orgânica, abandone, porque é sacanagem.

(2)
A tigrada vermelha é sacana até a medula mesmo. Dizem que vão pegar em armas pra defender a comandanta, fazem ameaças para tentar intimidar a população para que não vá às ruas protestar, chamam as pessoas que querem o fim do comuno-petismo de fascistas, golpistas e blá-blá-blá e, no final das contas, ainda tem a cara de pau de dizer que quem está semeando a cizânia no país é o povo que não cai mais em suas lorotas totalitárias.

(3)
A pergunta que não quer calar: Cunha e Temer não valem a farinha que arrotam, mas em que medida eles são mais maléficos para o Brasil que a dupla Lula e Dilma?

(4)
O “X” da questão, o grande problema da nação, é o poderio do Foro de São Paulo e o projeto político totalitário comuno-petista. Por isso, a queda de Dilma não é, nem de longe, o fim de nossos problemas, mas apenas uma pequena parte de uma longa peleja que continuará sendo travada contra esse projeto totalitário de poder que hoje se assenhora de nossa mãe gentil.

(5)
Uma dica, bem simples: jamais acredite em ex-petista que não se torne um anti-petista aguerrido. Jamais acredite num ex-marxista que não tenha se tornado um anti-marxista convicto. Enfim, jamais, repito, jamais confie num caboclo que não combate ferozmente os seus antigos erros, pois se não há esse bom combate, todo o seu ex-marxismo não passa de dissimulação, uma pose tão postiça quanto seu caráter.

(*) professor e cronista.

Comentários