AS MURALHAS DE MORDOR

Por Dartagnan da Silva Zanela

(1)
Como é fácil, muito fácil mesmo, um pedaço de lixo defecado, por um montinho de excremento, ser capaz de infectar todos com sua presença excrementícia, depreciando tudo com o seu valor fecal.

(2)
Uma alma, justa ou injustamente irada, não tem ouvidos para conselhos. O sangue obstrui os seus ouvidos, embaça as suas vistas e petrifica os seus nervos. Justa ou injustamente, toda e qualquer alma tomada pela ira, cansou-se das palavras e de sua falta de sentido. Ela quer apenas agir sem pensar na justiça possível ou nas injustiças presentes.

(3)
Os governos estão cada vez mais burocraticamente cínicos; os mestres, a cada dia que passa, estão mais bufos e as famílias, sem perder o ritmo, cada vez mais descaradas.

(4)
O sistema educacional, literalmente, elegeu a mediocridade para tomar o lugar da meritocracia. Palmas para o sistema. Palmas! Agora, se um indivíduo não consegue nem mesmo atingir o nível da mediocridade, ele é o que? O que ele poderá vir a ser? Ora, a resposta é tão simples quanto óbvia. O sujeito estará plenamente apto a ser um cidatonto portador de todos direitos e atuar criticamente – e põe crítico nisso - na sociedade brasileira. Pois é. É disso que os demagogos gostam; é isso que o Brasil cada vez mais virá a ter.

(5)
Para recuperar a educação brasileira dos males advindos da influência, monolítica e devastadora, da obra de Paulo Freire, e de toda ordem de vulgaridades marxistas, serão necessárias muitas gerações dedicadas zelosamente à educação. Muitíssimas. Ou não. Pra falar a verdade, não sei se o estrago feito por esses trogloditas diplomados tem cura. Pra ser sincero, essa é uma de minhas maiores desesperanças.

(6)
Os medíocres têm grandes esperanças, por isso, são o que são. Os desesperados, por sua vez, têm algumas esperanças, devido a sua entristecida condição. Já os realistas, caminham, com o passo tão seguro quanto pesado, carregando o fardo das desesperanças que sua vista alcança, ciente de que para além de seus olhos há muito mais e, por isso, rezam a Deus para que Ele lhes dê a força necessária para que suas pernas possam suportar todas elas.

(7)
É civilizado todo o indivíduo que, cônscio de poder fazer tudo o que bem entender, limita-se apenas a realizar aquilo que é apropriado moralmente.

(8)
No Brasil, os políticos, de um modo geral, posam de ridículo pra melhor cair no gosto de seus eleitores e, ao mesmo tempo, bem ocultar o seu incorrigível cinismo.

(9)
O politicamente correto e o multiculturalismo, juntos e misturados, são absurdos terríveis ao ponto de transformar pessoas razoáveis em criaturas de coração duro, miolo mole e com um estômago extremamente sensível.

(10)
O Brasil está cada vez mais estúpido. Muito estúpido mesmo. Tanto é que, quando se fala da hegemônica palermice que impera em nossa sociedade, sempre há uma multidão, ou ao menos meia-dúzia de idiotas, manifestando-se estupidamente em defesa dessa soberba e sólida instituição nacional. E o fazem, orgulhosamente, sem saber, obviamente, o que estão fazendo.

(11)
Vivemos num país onde a regra fundamental é a inconsequência geral. Regra essa que é ensinada desde tenra idade sob a tutela dos displicentes olhares de adultos cínicos que fingem amar os infantes.

Ensina-se, desde muito cedo, que basta bater o pezinho, posar de coitadinho incompreendido pra conquistar o que se quer sem, necessariamente, fazer algo, por mínimo que seja para merecê-lo.

Basta aprender a intimidar os outros, ser dissimulado, fazer birra e beicinho de miúdo mimado que não ganhou todo o quindim que queria e pronto! Tá tudo garantido. Tudinho.

Sim, sei que isso é ridículo pra caramba, mas é bem assim que a banda vem tocando em nosso país.

(*) professor e cronista.

Comentários