O AFLORAR DAS ABÓBORAS

Por Dartagnan da Silva Zanela

(1)
Fachin, o fantoche togado do Planalto, como bom serviçal dos rubros larápios que é, jurídica, cínica e indiscretamente, com uma única canetada escaqueou a democracia em favor dum projeto cretino e totalitário de poder que vem fazendo do Brasil uma grande piada, como nunca se viu antes na história universal.

(2)
Dizem as piadas de salão, que todo bom advogado de porta de cadeia sempre acha uma brecha na lei para salvaguardar os interesses do seu cliente. O senhor Fachin não. Ele violenta a democracia, arromba a constituição, faz o diabo e muito mais, e tudo o faz em nome da consolidação desse infame projeto totalitário de poder.

(3)
O senhor Álvaro Dias é um clássico exemplo de sujeito provinciano presunçoso que, na majestade de sua soberba, se recusou a enxergar o óbvio ululante quando simiescamente bajulou o senhor Fachin ao invés de sabatina-lo da maneira devida como um verdadeiro Senador da República.

(4)
As sebosas almas que ficam com aquela surrada cantinela de que impeachment é golpe, que o Brasil vai aprofundar a crise caso a comandanta seja deposta, deveriam lembrar que Collor caiu e, até onde se sabe, o Brasil, após o seu impeachment, ficou bem melhor sem ele ocupando aquele ridículo palácio erguido no planalto central. Por isso, penso que o nosso país ficará muito melhor não tendo mais que estocar vento e sem precisar mais saldar a mandioca no ritmo ditado pela batuta da "mulher sapiens".

(5)
Todo político medíocre se ufana de ninharias porque, geralmente, ele tem apenas isso para se vangloriar. E assim o é, porque esses biltres disformes, que tanto abunda em nosso país, são incapazes de realizar qualquer tipo de grandeza.

(6)
A massa ululante de militontos não se cansa de repetir a firula de que estão querendo tirar a Comandanta da presidência porque, segundo o que seus mestres colaram junto de suas viseiras, a mulher sapiens mandiocardus está combatendo o vil sistema de corrupção que está afundando o país. Se formos seguir a lógica desses tontos, o impeachment de Fernando Collor teria sido motivado pela mesma razão; que ele, Fernandinho, que hoje está apoiando o governo Dilma, estava combatendo a corrupção nos idos dos anos noventa e, por isso, foi cassado, inclusive, pelos inflamados vermelhinhos. Seria isso? Pois é, essa gente definitivamente perdeu todo e qualquer senso de razoabilidade; abdicaram da mais elementar noção do ridículo, tamanho é o papelão que voluntariamente estão fazendo. Enfim, por essas e outras que Roberto Campos tinha razão quando dizia que a burrice no Brasil tem um passado glorioso e que seu futuro está mais do que garantido nestes tristes trópicos.

(7)
Vamos, se possível for, tentar entender a maneira de raciocinar de um militonto? Vejamos: Delcídio do Amaral, líder do Governo no Senado, foi flagrado tentando obstruir a justiça não por sacanagem vil, mas sim, para ajudar nas investigações e pra combater a corrupção que assola o Brasil e que Sérgio Moro não é um juiz não, mas sim, um sinistro agente da CIA tentando derrubar o governo popular bolivariano da mandioca maior. Ou seria da macaxeira menor? Vai saber. Na eólica lógica dessa gente tontamente crítica tudo é possível. Tudo mesmo.

(8)
Se um militonto vier pro seu lado babando, com os olhos chispando bolas de fogo feito um cão raivoso pra defender Comandanta eólica do aipim estocado, não se esqueça de ter ao alcance de suas mãos um bom rolo de papel higiênico. Pode ter certeza que ele será mais do que necessário.

(9)
Ninguém é capaz, como um militonto com seu pensamento crítico, de falar tanta bobagem com aquela cara séria de neném cagado, todo iluminado com aqueles pútridos ares de indignação afetada. Não tem jeito: nesse quesito eles são imbatíveis.

(10)
Tão ridículo quanto um militonto defendendo o projeto totalitário de poder comuno-petista como se fosse o suprassumo da democracia é termos de ver um politiqueiro marreteiro de quinta categoria falando de honestidade, honra e, ui, de espírito republicano. Por essas e outras, meu caro, que o Brasil não passa de uma mal contada piada surreal. De uma péssima piada, diga-se de passagem.

(11)
Enquanto o Brasil não der um chega pra lá nas chupetas ideológicas e nas fraudas utópicas pra colocar definitivamente o pé na estrada da dura e pedregosa realidade, continuaremos a ser assombrados por toda ordem de visagens populistas e por esse vil projeto comuno-totalitário que, com muita eficiência, vem afunda o nosso país e mutilando nossa débil democracia.


Comentários

  1. Mas Moro sinistro agente da CIA é muito bom todo mundo se mela com a chegada do cara

    do cara

    ResponderExcluir

Postar um comentário