CONVERSA QUIXOTESCA, 29/11/2015: O MAL ABSOLUTO DO RELATIVISMO.

Comentários