PARA ENCONTRAR UM BOM PRUMO


Por Dartagnan da Silva Zanela


UM CONGRESSO ANEDÓTICO - Não querendo ser chato, mas já o sendo, confesso que às vezes me cansa ter de ouvir aquela horda de aduladores, elegantemente vestidos, tecendo louvores imerecidos a fulano ou beltrano. Um verdadeiro teatro de horrores.

Não que elogios sejam dispensáveis na vida humana. Não é isso. O que cansa os ouvidos de qualquer um, o que turva a vista e acabrunha a alma de qualquer cidadão, são as bajulações exageradas desse circo burlesco que é o nosso Parlamento que vive a encenar a mais cínica das piadas diante de toda a nação.

NEGAMOS - Preferimos a vaidade à verdade. Podemos até afirmar o contrário, com os pés juntos, mas nossas atitudes confessam o oposto de nossas palavras. E assim, levianamente, seguimos negando a nossa vida com o nosso tosco jeito de viver vaidosamente.

GAME OVER - Se o senhor Álvaro Dias é o melhor senador de nossa bananesca república; se ele é tido como a voz mais respeitada da oposição no senado desse triste país, o projeto de poder do PT não tem mais nada que temer. Nadica de nada. Não precisamos mais disfarçar não.

OPOSIÇÃO DE PAPELÃO - A sabedoria maquiavélica reza que se não podermos vencer o nosso inimigo devemos nos juntar a ele. A prática de tal conselho atesta que quando nos juntamos ao nosso inimigo, imaginando que seremos tratados por ele com a mesma deferência que lhe prestamos, acabamos sim, nos reduzindo a condição dum vil serviçal, colocando-nos na condição humilhante que ele sempre desejou nos impor. E é isso o que o Foro de São Paulo fez com todos os seus impotentes opositores. Opositores esses que, de maneira ridícula, acham que estão fazendo grande coisa agindo feito rasteiros lacaios. Enfim, por essas e outras que Maquiavel, em muitos aspectos, sempre me pareceu um bobão, tal qual nossa “oposição”.

TODOS SABEM, MENOS ELES - Vida é luta, um combate incessante. Todos sabem disso. Até as pedras cantam essa velha cantiga. Porém, as ditas vozes da oposição não concordam com isso não. Para eles, viver é portar-se como um pulha numa aleivosia incessante. Até as paredes do congresso sabem disso e tristemente coram por eles, já que a tal da vergonha faz muito que abandonou boa parte de nossos congressistas.

MASSA DE MANOBRA - Você sabe qual a diferença dum idiota qualquer para um idiota útil? O primeiro é o que é: um tonto fechado em si mesmo. O segundo, além disso, é usado por terceiros para realização dum plano que o bobinho desconhece e ignora, mas o realiza, copiosamente, comprando brigas com todos, mesmo sem saber claramente o que está fazendo e porque está brigando. Aliás, ele imagina saber o que está fazendo e porque está semeando a cizânia aqui e ali, mas, no fundo, não sabe de nada. Nem quando é dia.

MISÉRIA PURA - Adulação é uma forma covarde de mentira. A calúnia também não fica pra trás nesse quesito e, a prática de ambas, revela de maneira cristalina o quão medíocres são os seus indecorosos praticantes.

DIREITO UMBILICAL-CORPORATIVO - O que determina uma ação é a finalidade que se pretende realizar. O que qualifica a finalidade a ser alcançada são os meios empregados nesse intento. Quando há excelência nos meios, esses elevam mais e mais a longanimidade dos fins. Porém, se os meios utilizados são escusos, toda a ação encontrar-se-á desmoralizada, porque eles desabonaram os fins, por mais nobres que eles sejam. Agora, se o fim a ser atingido for tão escuso quanto os meios, num curto prazo de tempo, a fantasia de honorabilidade cai, revelando a indisfarçável baixeza da ação desencadeada.


Comentários