OBSERVAÇÕES IMPERTINENTES



Por Dartagnan da Silva Zanela


SEM FIRULAS - O Brasil do PT é um verdadeiro negócio da China. Sem metáforas ou rodeios. Um negócio da China que corre o risco de ver a coisa ficar Russa.

O VERDADEIRO PODER - Nos ensina Johann Goetha que a maior força que existe é a personalidade. Quando essa é bem formada, sólida, torna-se algo irresistível. Não há que possa.

Ciente disso, compreende-se com grande clareza porque tantas e tantas pessoas tem que, necessariamente, esconder-se atrás duma multidão acéfala para poder sentir-se alguém.

Sós, cada uma delas é o que é: um amontoado de fragmentos duma vida sem sentido sendo devorada, lentamente, pela sua mesquinharia existencial.

TONTAMENTE ENGAJADO - Se o que temos a dizer depende do eco duma multidão para ter algum sentido é porque o que será dito pelos nossos lábios não é algo que temos, pessoalmente, a dizer, mas sim, que alguém, por meio de ardilosos subterfúgios, fez-nos crer que fomos nós que, criticamente, pensamos isso ao mesmo tempo em que somos usados para fins que, infelizmente, nem imaginamos. Ou até imaginamos, mas temos medo de cogitar sobre essa possiblidade.

MARTELADAS E PREGOS - A galerinha ama dizer que pensa criticamente, que vive, trabalha, caminha, dança, rebola e defeca de maneira crítica. Mas, falando em termos críticos, o que essa gente faz mesmo é ficar maquinando em suas cumbucas mil e um subterfúgios e razões furadas para poderem negar e distorcer as realidades mais evidentes. Nesse intento, eles acabam fazendo uma confusão dos diabos, misturando alhos com bugalhos. E como a turminha do mimimi cidadão não sabe a diferença cabal que há entre o que seja confuso e complexo acabam, em sua insensatez estulta, se sentido espertamente críticas ao mesmo tempo em que acabam atestando o contrário disso.

A MÁSCARA DA CIDADANITE - A nobreza dos gestos e a autenticidade das ideias e valores defendidos encontram-se na clareza de nosso entendimento sobre os mesmos. Se tivermos apenas uma visão turvada dos valores e ideias que defendemos, invariavelmente nossos gestos serão grotescos e tacanhos.

Nossas atitudes apenas revelam o que as nossas palavras mal e porcamente tentam maquiar e esconder. Quando colocamos nossos desejos e direitos acima dos deveres mais elementares que nos foram confiados, torna-se mais do que visível que estamos muito mais preocupados com o nosso umbigo do que com o bem daqueles que, por sua vez, estão sob nossa tutela; mesmo que incessantemente falemos histericamente que estamos criticamente preocupados com o futuro da sociedade.

APENAS ISSO - Não luto por bandeira alguma; não tenho causa e nem mesmo pelejo em meu favor. Acredito apenas que devo defender o que é justo, pelo que é devido a cada um e, por isso mesmo, peço aos céus que não se faça apenas a justiça entre nós, mas também e principalmente, que impere a misericórdia em nossos corações e que essa se veja refletida em nossas ações. Apenas isso e nada mais.

A GRANDE BATALHA - O grande desafio de todo indivíduo: não vergar sua cabeça aos ditames do Estado (Leviatã) e não entregar-se a volúpia das multidões (Behemoth).

Ambos querem nos arrancar a alma e esfolar nossa dignidade; cada qual ao seu modo, cada um à sua maneira.

Somente a consciência da imortalidade da alma liberta-nos dessas bestas titânicas que se digladiam desde a aurora dos dias para nos consumir em suas infindáveis intrigas.

Intrigas que dissolvem a nossa humanidade, reduzindo-nos a joguetes dum nefasto tabuleiro de xadrez onde Leviatã e Behemoth sempre vencem e o indivíduo sai, sempre, humilhantemente derrotado.  

TONTURAS METAFÍSICAS - Quando perdemos a consciência da imortalidade da alma, até uma unha encravada torna-se um Armagedom sem fim em nossa vida.

E POR AÍ VAI - A soma duma multidão de militontos não dá um indivíduo, da mesma forma que um agregado de palavras de ordem decoradas jamais resulta numa personalidade bem formada.

VIDA DE GADO - Militonto é um bichinho interessante. Coloca sua viseira ideológica nas vistas, marcha pra onde o comissário do povo mandar sem questionar. Berra, direitinho, as palavras de ordem e, fazendo isso, acredita, com os olhinhos brilhando, que está manifestando a magnificência de algo que ele, nem em sonho, tem: personalidade.

Tal qual qualquer manada, a de militontos segue pra onde o timoneiro manda acreditando que estão indo para onde eles, criticamente, querem ir, batendo no peito que eles são uma força invencível. E de fato o são! Uma força tão brutalizada quanto alienante, usada para realização de propósitos que eles ignoram de maneira arrogante porque, vale lembrar, é na sua ignorância que reside toda a sua força. Toda a força dum militonto.

A CANALHOCRACIA VERMELHA - Uma sociedade onde se governa, ao mesmo tempo em que se perturba a ordem, recorrendo a força das massas, em nome de grupelhos de militontos ideologicamente ensandecidos, em prol dos interesses dum projeto criminoso de poder, sob o império duma ideologia cínica, não é uma democracia nem aqui, nem na casa do chapéu. É, escancaradamente, uma canalhocracia vermelha sem nada por, sem nada colocar.

MATÉRIA FECAL - Quando um coco falante se junta com seus iguais, ele tem a ilusória impressão de que se tornou algo relevante. Pensa, inclusive, que um monte de cocos falantes reunidos forma um cidadão. Mas não se engane! Juntos ou separados, eles são o que são: cocós falantes. E como falam...

Comentários