Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2015

EMPURRANDO COM A BARRIGA

Por Dartagnan da Silva Zanela

RELATIVISMO É ISSO COMPANHEIRO - Existe uma distância abissal entre o que é o amor e que seria o reles tesão. Quem confunde uma coisa com outra ou gosta de ser usado como objeto, ou deseja apenas usar os outros para satisfação de suas egoísticas fantasias. E mais! Dar pito, com pose postiça de bom-mocinho politicamente-correto, dizendo que essa esbornia é igual, em valor e substância, ao que nos é ensinado na Cruz, é porque não sabe a diferença que há entre um pinico e uma baixela, com seus respectivos conteúdos.
QUASE PROFETA – Carneiro Leão, afirmava, com a melancolia duma voz engasgada, que pobre é a nação onde a mediocridade é a condição sine qua non para integrar, tomar parte, da elite dominante. Penso que ele, quando afirmou isso, estava tendo uma visão profética de nosso pobre e desavergonhado país.
PONTO - O Villa é rápido no gatilho e até engraçadão, mas não é tal, nana nina não. E não adiante espernear nem fazer insinuação porque, no fim das contas…

PARA ARROLAR O ROLO

Por Dartagnan da Silva Zanela

DA BREVIDADE DO NADA - Santo Agostinho nos ensina que a vida nada mais é do que uma breve passagem dum infinito, do qual saímos, para outro infinito, para o qual rumamos. Dum infinito ao outro apegamo-nos de maneira irascível, muitas vezes, a bens finitos que, comparados à eternidade, nada são. E não é com uma frequência menor que trocamos o eterno pela brevidade dum nada qualquer.
AS VÍBORAS NOSSAS DE CADA DIA – Santo Antônio de Pádua (também e primeiramente de Lisboa) era um homem que sabiamente construía translúcidas imagens para, através de seus piedosos sermões, ilustrar as obscurecidas almas que, naqueles idos, iam ouvi-lo pregar e bem como ilumina, até hoje, a alma dos distantes leitores de seus escritos, como nós.
Num desses sermões, ele nos diz: “Quando te sorriem a prosperidade mundana e os prazeres, não te deixes encantar; não te apegue a eles; brandamente entram em nós, mas quando os temos dentro de nós, nos mordem como víboras”.
E assim são nosso…

AMOLANDO A LÍNGUA CEGA

Por Dartagnan da Silva Zanela

CIRCENSE - Lula, atualmente, só dá o ar da graça em picadeiro fichado com publico prévia e devidamente amestrado.
PONTO - O Villa é rápido no gatilho e até engraçadão, mas não é tal, nana nina não. E não adiante espernear nem fazer insinuação porque, no fim das contas, é o Olavo quem tem razão.
LÍNGUA FERINA (i) - Muita gente gosta de ter uma “boa” resposta na ponta da língua e que essa, a língua, seja afiadíssima. De minha parte, não sou afeito a isso, por incrível que possa parecer. Na verdade, não desejo ser ferino e certeiro com as palavras o tempo todo e a qualquer momento.
Para mim, mais importante que ter uma suposta resposta na ponta da língua, é possuir um desejo sincero de encontrar a resposta apropriada para os problemas que nos são apresentados. Mais importante que termos uma língua amolada é sabermos claramente o peso das palavras que iremos ou não utilizar.
Outra coisa: muitas vezes, quando sinceramente procuramos uma resposta para as questões qu…

INDEFINIÇÕES BEM DEFINIDAS

Por Dartagnan da Silva Zanela

CATINGA MORAL - O cagão sempre fica valente junto com os seus. Por isso, uma multidão de cagões reunida sempre dá merda. Jamais alguma coisa que preste.
ASSIM DIRIA TIRADENTES - Contra a derrama de impostos, adversário da ingerência Estatal, contrário a estatolatria reinante, sou inconfidente. E inconfidente sigo caminhado em meu passo contra o Paço transbordante de iniquidades.
SINISTRO - Um homem de um único livro é temível, porém, indivíduos de livro nenhum, escorados em um e outro diploma, são deformações abomináveis que sepultam a cultura e a humana dignidade.
A MAGNIFICÊNCIA DA BAIXEZA - Antoine Albalat nos ensina que um talento nada mais seria que uma aspiração. Nesse sentido, o grande problema de nosso país não seria, exatamente, uma carência de talentos, mas sim, uma excessiva compulsão que almeja apenas ao que é baixo e vulgar. Uma constante cobiça por tudo que seja anódino. Cobiça essa que exige, obviamente, que essa mediocridade seja tratada com a…

ENCONTRANDO INDEFINIÇÕES

Por Dartagnan da Silva Zanela

ARTIFICIAL E ARTIFICIOSO - Tudo é uma questão de atenção e de percepção. Muitas vezes, por força de hábitos cognitivos viciosos, acabamos por julgar tudo que está a nossa volta a partir duma única e miserável chave interpretativa, querendo o tempo todo diminuir a complexidade da realidade para melhor enquadrá-la em nosso mundinho disforme.
Por exemplo: se um sujeito intenta interpretar a realidade a partir duma chave cognitiva como a tal “luta de classes”, ou qualquer uma de suas variáveis, ele estará, com muita facilidade e deformidade, criando um simulacro ao mesmo tempo em que imagina estar desvendando um fosso de mistérios insondáveis que os reles mortais seriam incapazes de vislumbrar. Tadinho.
Na verdade, é muito mais provável que seja uma fossa de enganos e engodos fecais do que outra coisa. E, tudo isso, parido por uma teimosia ideológica que não apenas deforma a compreensão humana, mas também, distorce as relações entre os indivíduos para que essas …

PROCURANDO INDEFINIÇÕES

Por Dartagnan da Silva Zanela

O QUE SERÁ? - Engraçado, tem gente que chama o twitter (e o facebook) de esgoto, mas vive nele. Nesse caso, fica a pergunta: sujeitos como esse são ratos ou cocozinhos? Um produto híbrido das duas coisas? "Bostatos"? Não sei e, pra falar a verdade, nem quero saber.
É DESSE JEITO - O governo ama tanto os pobres que os multiplica, cinicamente, e conserva-os pobres, bem pobres, ao ponto deles serem incapazes de reagir a esse quadro de humilhante dependência.
É DESSE JEITO (ii) - A justiça é cega, mas não é estúpida. Nós, cidadãos brasileiros, por nossa deixa, enxergamos. Apenas isso. Enxergamos sem reconhecer nossa estupides. Ponto.
É DESSE JEITO (iii) - Muitas vezes dizemos que os problemas de nosso país nos preocupam e, inclusive, fazemos aquela cada de indignados, mas, porque fazemos isso? Pra falar a verdade, não sei. Porém, uma coisa é certa: na maioria das vezes nos portamos assim por pura e simples vaidade. Raramente o fazemos por caridade.
É DE…

SOMOS COMO CEBOLAS

Por Dartagnan da Silva Zanela

E POR QUE NÃO? - Da mesma forma que, certa feita, Ulisses Guimarães foi anticandidato a presidência da República, por não reconhecer como legítimo o processo eleitoral que levou o General Ernesto Geisel à presidência da República, hoje, mais do que nunca, toda pessoa minimamente decente deveria portar-se como um anti-cidadão para afrontar essa esbórnia geral que tanto deforma nossa república e enxovalha a nossa dignidade. Seguir caninamente pelo catecismo da cidadania vigente, respeitar essa a choldra ignóbil que se apossou de nossa vida (depre)cívica, é dar-lhe a honorabilidade que apenas é devida a majestade da democracia.
UM VELHO E ATUAL CONSELHO Se você estiver em dúvida quanto ao que devemos obedecer, se a Lei de Deus ou as leis dos homens, pergunte-se apenas: qual delas não passará? Qual delas existe para nos guiar para a eternidade? Feito isso, faça a sua escolha. Escolha que refletirá o tesouro que seu coração ama verdadeiramente com todas as forç…

PARA ENSURDECER

Por Dartagnan da Silva Zanela
SILENCIOSA GRAÇA – Devemos saber ceder no pouco para poder conviver civilizadamente no todo. É imprescindível saber conceder o benefício da dúvida a todos para poder contar com a confiança do outro. É fundamental aprender a desconfiar de nossas certezas para que o próximo não duvide de nossa integridade. É necessário afastar-se do alarido bestificante para no silêncio encontrarmos a confiança inabalável na bondade Daquele que nos deu tudo e que nós, de nossa parte, tão pouco cedemos a Ele e ao próximo. Muito pouco! Nem mesmo a piedosa graça do silêncio que, ao seu modo, revela a nossa deferência, ou indiferença, para com o outro, pois, quando o respeito impera, o silêncio fala e a egolatria cala. Experimente. Já quando o egocentrismo grita e gargalha, abrem-se as portas para a mais vil barbárie. Silencie e testemunhe.
É DESSE JEITO - Nossas palavras evocam, nossos gestos ecoam e juntos, palavras e gestos, dão testemunho daquilo que somos.
UMA QUESTÃO DE TRA…

NÃO ME VENHA COM TRELELÉ

Por Dartagnan da Silva Zanela
TAPETE NÃO FALA - A oposição feita pelo PSDB ao governo é similar à contraposição do capacho à sola imunda dum velho sapato dum ignóbil senhorio.
BOBINHOS - Otimistas são tontos assustados. Tão assustados que tentam disfarçar seu medo com postiças esperanças. Pessimistas, por sua deixa, são tontos desesperados que tentam disfarçar a sua languidez com toda sorte de azedumes supostamente realistas. No fundo, ambos são bobinhos da mesma estirpe com polaridades contrárias. Ponto.
ISSO BASTA PRA ENTENDER - As humanidades, a grande literatura universal de maneira especial, existem para defender a grandeza humana de todos os tempos da mediocridade humana do tempo presente.
A CIDADANITE DE CADA DIA - Quando ouço alguém falar em cidadania não sei se começo a chorar, se dou uma escandalosa gargalhada, ou se simplesmente corro pra bem longe. É muita besteira presunçosa mal disfarçada com uma simplória palavra.
CRISTÃO LIGHT - Quer um resuminho da mentalidade do cristão …

PARA NÃO SER CANASTRÃO

Por Dartagnan da Silva Zanela

ESTUDANDO – Todos nós sabemos muitas coisas. Muitas. Porém, raríssimas vezes procuramos organizar essas nossas quinquilharias em nosso porão mental. Simplesmente recebemos as informações e as jogamos lá dentro e que lá fiquem. Não é à toa que nos sentimos um tanto que aturdidos quando somos indagamos sobre o que sabemos, pois, a bagunça é tamanha que fica difícil encontrar algo.
Por isso estudar nada mais é que colocar ordem nessa edícula cerebrina. Para tanto é indispensável que tenhamos um guia (uma lista de temas ou de questões simples e diretas) para fazermos um check-list gnosiológico. Listar o que devemos saber e como o devemos. Eis aí um bom e criterioso começo.
Além da lista, é de fundamental importância que tenhamos uma disciplina vontade para organizar essa bagunça epistêmica. Sem isso, meu amigo, não há Cristo que resolva nosso problema, nem lista que dê conta da zoeira, porque onde a desídia viceja é a balburdia e a ignorância voluntária que imp…

PALAVRAS PRA QUE TE QUERO

Por Dartagnan da Silva Zanela
É ISSO - Ele, o Cristo, é o caminho, a verdade e a vida. E você, é o que? Ele, o Verbo divino encarnado, ofereceu-Se em sacrifício por todos nós. E você, tem prova maior de amor a nos oferecer?
É SIMPLES ASSIM - Onde a descrença grassa, viceja a desgraça.
SILÊNCIO NOSSO DE CADA DIA - O homem moderno foge do silêncio a todo custo. Em toda ocasião, em qualquer momento que seja, procuramos o conforto que nos é oferecido pelo alarido hodierno. Ora pelas multidões, ora pelas mídias, seja qual for o subterfúgio, pouco importando as dimensões dum ou doutro, ambos, cada qual ao seu modo, nos aliciam a fugirmos de nós mesmos e, consequentemente, a fazermos ouvidos loucos para os conselhos que nos são sussurrados por nossa consciência, o arauto de Deus que habita nosso íntimo.
Não é por menos que o mundo moderno seja tão agitado. Do mesmo modo, não é à toa que nos neguemos tão facilmente ao silencioso recolhimento em nós mesmos. 
E estando todo imerso nessa confusa mul…

LOUCO É QUEM ME DIZ...

Por Dartagnan da Silva Zanela
DE DELFOS À CÁTEDRA PETRINA - Quando procuramos sinceramente conhecer Deus, quando nos dispomos francamente a nos conhecer é justamente aí que começamos a cultivar, de fato e inevitavelmente, a virtude da humildade.
Dum modo geral, por soberba e vaidade, temos uma medida diminuta de Deus e uma expectativa superestimada de nós mesmos. Em muitos casos, sem percebermos, colocamos nossos pífios juízos (ou a falta deles) acima dos decretados pelo Altíssimo e achamos isso a coisa mais normal do mundo.
Muitas vezes chegamos ao ponto de imaginarmo-nos como sendo mais bondosos que Ele ousando, inclusive, a sugerir correções a Sua obra. Pra falar a verdade, raramente nos ocorre que deveríamos nos empenhar em corrigirmo-nos à luz Dele, tamanha é nossa vaidosa soberba quanto falsa é a imagem que temos de nós mesmos e de Deus, esse ilustre desconhecido que fingimos amar sem querer, de fato, conhece-lo. Quem o diga obedecê-lo e respeitá-lo.
MAL ESTAR SOCIETÁRIO - Eleições…

CONSELHOS FURADOS

Por Dartagnan da Silva Zanela
AMANTES VULGARES - Uma frase dita com frequência pelos pretensos conhecedores da História e, principalmente, pelos supostos amantes dessa distinta dama: “Por que ficar estudando as sociedades greco-romana e medieval? Isso é uma perda de tempo quando poderíamos estar estudando algo mais atual do que essas coisas que não tem nada haver conosco hoje, com o nosso dia a dia”.
Essa frase, na real, é um claro sinal de estultice, uma cristalina demonstração duma sabedoria histórica postiça parida por sujeitinhos de minguado quilate. Não apenas isso. Uma clara confissão de má intenção.
Explico-me: Quando um sujeito diz que nós não devemos conhecer os fundamentos da experiência civilizacional, desconsiderando o valor de toda experiência humana que fora acumulada no correr de milênios, ele está declarando, discretamente, o seu total desamor não apenas pela história, mas por tudo que dignifica o ser humano.
No fundo, o que ele quer mesmo é convencê-lo da posição polític…