RETALHOS E RASURAS – PARTE II

Por Dartagnan da Silva Zanela

- - - - - - - - - - + - - - - - - - - - -

[i] É, meu caro Watson, o Brasil está a deriva. Os impostos sendo elevados, verbas de setores essenciais da tal “pátria educadora” sendo cortados, racionamentos, apagões e, no meio dessa muvuca, a presidente(a) sumiu. Nem uma palavrinha sequer para seus atônitos e devotos seguidores. Tadinhos.

Poucos meses atrás ela gritava histericamente que no Brasil estava tudo muito bem, que não havia razão para a população se preocupar, que todas aquelas afirmações sobre sua desastrosa gestão eram apenas conversas fiadas e eleitoreiras da oposição e da imprensa golpista.

Pois é, os meses passaram e a maquiagem caiu. E todo mundo está, agora, vendo a realidade e constatando que a “grande” líder sumiu justamente no momento em que um verdadeiro grande líder deve se fazer presente.

Isso mesmo! A super Dilma, desapareceu na hora em que sua palavra, e sua presença, eram mais necessárias. Justamente na hora em que o barco está fazendo água a capitã da barca se esconde debaixo de sua saia de mentiras.

Enfim, eis aí o tal “coração valente”. Bem na hora de dar uma simples explicação, uma reles satisfação para a nação, ela se cala, se esconde, revelando a quem quiser ver qual é a real substância de seu caráter.

[ii] Chega ser engraçado ouvir (e ler) os esquerdopatas falarem de islamofobia (e alguns até de homofobia) após os ataques terroristas na capital francesa que, na verdade, é apenas mais um entre inúmeros outros que são realizados todos os anos por terroristas islâmicos. Esse foi contra um grupo de chargistas sem muita graça. Os inumeráveis outros foram contra comunidades inteiras de cristãos na Ásia e na África.

E diante desses crimes que clamam aos céus o que os esquerdopatas gritam? O que? Que temos que acabar com a islamofobia. Ora, todos os atentados terroristas que mancham de sangue a história recente são contra Igrejas e Sinagogas, não contra Mesquitas. São contra cristãos e judeus, não contra islamitas.

E tem mais! Já pararam pra imaginar se os alvos fossem Mesquitas? Todo ano, aproximadamente, 100.000 cristãos são assassinados por milícias muçulmanas. Todo ano cem mil. Pois é, e o que os esquerdopatas dizem? Nada. Agora, imagine os petiz que eles teriam se as vítimas fossem muçulmanas? Se a fictícia islamofobia os faz babar na gravata, uma real os faria rasgar camisas de força nas tribunas.

Aliás, como muito bem nos lembra a ativista somali Ayaan Hirsi Ali, “os intelectuais europeus não se interessam pela morte de cristãos nem buscam combater a cristofobia. Estão ocupados demais com a tal 'islamofobia'”. E assim procedem porque da mesma forma que os terroristas, os esquerdopatas querem acabar com a Civilização Ocidental, porém, através doutros meios.

@dartagnanzanela
http://zanela.blogspot.com/

Comentários