ANOTAÇÕES NADA FILOSÓFICAS

Por Dartagnan da Silva Zanela

- - - - - - - - - - + - - - - - - - - - -

[i] Envelhecer é uma arte. Saber envelhecer, em resumo, é regozijar-se por estar crescendo em espírito e verdade. Porém, na sociedade atual, essa arte é fragorosamente desdenhada. Poucas são as almas que admitem e apreciam o declinar dos anos. Na verdade, a maioria ululante quer saber de negá-lo e viver fingindo que é jovenzinho. Agindo feito um sem o ser.

É ridículo vermos pessoas em idade madura, e mesmo avançada, vivendo como se fosse um rapazola irresponsável de vinte anos. Não que todos os jovens dessa idade vivam imaturamente, não mesmo. Porém, são muitos os que, mesmo tendo passado da casa dos trinta, quarenta, ou mais, insistem em viver numa noite pueril sem fim.

É claro que essas incautas almas dirão que o que importa é ser jovem de espírito. Todos já ouvimos esse trololó, entretanto, nada melhor sinaliza o desespero duma vida do que tal afirmação. Ela revela a imagem duma criança mimada e assustada que, irascivelmente, se nega a crescer em espírito e verdade e que, por isso, degrada-se em termos humanos ao mesmo tempo em que imagina estar solvendo o tutano da existência.

[ii] Não há dúvida de que somos capazes de enganar nossos semelhantes, todavia, somos infinitamente mais capazes a enganarmos a nós mesmos.

Vale lembrar que o segundo caso é muito mais grave que o primeiro. Nesse, o indivíduo engana o outro e está ciente disso. Naquele, nos iludimos com as mais toscas fantasias e acreditamos piamente que estamos habitando o reino da verdade.

[iii] Hoje está claro, quer dizer, está mais ou menos claro o tamanho do rombo aberto na PETROSSAURO. Os números, agora, depois dos adiamentos injustificáveis, são de conhecimento público. Em resumo, a coisa é bem simples: nos últimos anos da austera e eficiente gestão, a PETROSSAURO perdeu mais da metade de seu valor e praticamente duplicou a sua dívida que tornou-se muito, mais muito maior que seu valor de mercado.

Esse fato, por si só, já é um absurdo monumental que, por incrível que pareça, é bem pior. Explico-me: o valor da empresa petroleira, hoje (dados do terceiro trimestre de 2014), é de R$ 229,723 bilhões. Em 2011 a mesma valia R$ 402,487 bilhões. Hoje (dados do terceiro trimestre de 2014), a sua dívida é de R$ 331,704 bilhões. Em 2011 era de R$ 128,999 bilhões. Agora, calcule o quando a PETROSSAURO deixou de ganhar com essa lambança toda? O quando, direta e indiretamente, a sociedade brasileira perdeu, e deixou de ganhar, com essa fuzarca toda?

É, meu caro Watson, o bicho tá feio e a situação da jurássica Estatal é apenas uma pequena parte do atoleiro. Por fim, não há firula que explique o rombo. Não há herança maldita pra alegar e nem contabilidade criativa que seja capaz de dar conta do estrado.

@dartagnanzanela
http://zanela.blogspot.com/

Comentários