INFIDELIDADE ELEITOREIRA

Por Dartagnan da Silva Zanela

- - - - - - - - - - + - - - - - - - - - -

Me diga uma coisa! Só uminha. Se sua esposa ocultasse de você todas as correspondências que chegassem até a porta de sua casa, se ela escondesse a fatura de seu cartão de credito e, sistematicamente, lhe apresenta-se uma justificativa, no mínimo, duvidosa para os gastos além do orçamento, o que você faria? Continuaria amando-a incondicionalmente? Entendo.

Alias, me permita outra perguntinha inconveniente: se ela realiza-se uma triagem prévia em todos os contatos do seu celular e do seu perfil no facebook, um pente fino pra saber tudo, tudinho o que você conversa com seus amigos, o senhor continuaria devotando a ela, sua amada, uma irrevogável confiança? Entendo.

Só mais uma perguntinha! Aí eu paro. Se ela surta-se, pira-se o cabeção, toda vez que você tivesse a desfaçatez de questioná-la sobre essas atitudes, mesmo assim, continuaria crendo candidamente em sua sinceridade para contigo? Continuaria? Entendo também.

Pois bem, e é dessa forma que o eleitorado crítico do PT reage frente aos infindáveis escândalos de desamor a república e de desprezo à democracia perpetrados pelo seu amado partido. De modo similar a um chifrudo convicto, cegamente apaixonado por sua sirigaita.

E paixão de corno é mesmo um trem bravo pra caramba companheiro! Não há remédio que cure e nem simpatia que dê remédio.

O caboclo é traído descaradamente, não acredita no que vê e se envareta com qualquer um que tenha o disparate de lhe contar a verdade. Chegam, inclusive, a cuspir marimbondos e a soltar fogo pelas ventas quando alguém tenta abrir os seus olhos para o fato de que a princesinha, sem encanto, não passa duma meretriz.

E os criticamente apaixonados pelo maquiavélico partido-princesinha, que a mais de doze vem fazendo do Brasil um grande lupanar, são guampeados até dizer chega e, mesmo assim, não querem saber de nada. Nadica de nada. Continuam ideologicamente cegos de amor.

Seja o caso de Santo André, do Mensalão, do Petrolão, seja o que for, para eles Lula, sem saber de nada, é um símbolo vivo da democracia e Dilma a detentora dum coração de santa/mártir e, por isso, nada lhes digam a respeito do Foro de São Paulo e dos empréstimos fantasmas a mais de um ditador. Não há nada neste mundo que seja capaz de abalar essa totalitária paixão.

Nada, nada, nada mesmo! O caipora guampudo não acredita em nada que desminta a matrona que lhe roubou o coração, o cérebro e a personalidade. É um horror, sei disso. Aliás, todos sabem e reconhecem, menos eles que fazem beicinho e batem o pé por pura cegueira de corno político misturada com um bom tanto de vaidade.

Enfim, dizem por aí, que isso é coisa que dá e passa. Será? O tempo dirá.

@dartagnanzanela
http://zanela.blogspot.com

Comentários