NADA DE TRIPAS

Redigida no dia 15 de outubro de 2014. Dia de Santa Tereza D’Ávila, Vigésima oitava semana do Tempo Comum.

Por Dartagnan da Silva Zanela

- - - - - - - - - - + - - - - - - - - - -

Enfim tivemos o primeiro embate entre os presidenciáveis nesse segundo turno. O espetáculo era esperado com grande ansiedade pela sociedade. Não eram poucos os pregões de apostas. A venda de bandeirinhas e cornetas era farta. Não tinha nenhum cambista, haja vista que a entrada na arena era franca através da janelinha televisiva.

A expectativa era de que houvesse sons de ossos trincando, tripas e vísceras de todos os tipos esparramadas pelo chão e sangue levemente respingado nas paredes, para dar aquele toque de selvageria. Mas não houve nada disso. Os dois contendores até pareciam bem abestados para meu gosto. Abestados até demais. Sim, meu caro Watson, debate é um esporte sangrento em que apenas os capacitados e devidamente preparados estão autorizados a participar. Caso contrário, fuja louco!

Tal qual uma luta, a beleza e mesmo a energia dum bom debate está no razoável gabarito dos pugilistas participantes. Tal qual uma partida de futebol, num debate, quando um bom e o outro é uma ferida, não se tem um espetáculo. Tem-se um massacre. Aí não beleza não.

E foi isso que tivemos no primeiro debate entre a senhora Comandanta e o senhor AAS Neves. Porém, mesmo assim, foi um bom debate. Destacaria nele alguns pontos que, no meu alienado ponto de vista, foram de grande relevância. O primeiro era a própria presença da candidata “Mais Presidência”. Ela, com sua descompostura, dificuldade de se expressar e uma farta incapacidade de apresentar uma resposta razoável sobre seus malfeitos e os não feitos são um retrato caricatural do que são os 12 anos de governança petista. Parecia que ela havia se preparado para um jogral, porém, esqueceu-se de passar as falas que deveriam ter sido ensaiadas e ditas pelo abominável mineiro das neves.

Esse, por sua deixa, mostrava-se muito tranqüilo e incisivo e suas considerações e, sem perder a carreira, disse a senhora Rousseff, que ela e seu partido agem levianamente numa campanha maniqueísta de ficar lançando brasileiros contra brasileiros. E não foi apenas isso. O tucano lembrou a sua contentora, e bem como a todas as hostes rubras, que o programa Bolsa Família nasceu da unificação das políticas sociais que já existiam no governo FHC e que a idéia dessa unificação partiu do então governador de Goiás, Marconi Perillo, do PSDB. É claro que ela rateou feito um Ford velho e chamou o mineiro de fantasioso. Mas aí veio o golpe de misericórdia sobre a soberba petista: a citação da fala do então presidente Lula no lançamento do referido programa agradecendo ao governador Marconi Perillo como sendo o idealizador da unificação dos programas sociais herdados (vide o vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=4vCeoPLLUn8). Trocando por dorso: só continuará acreditando que os tucanos irão desmontar os programas sociais quem quiser. Só não vê que o PT instrumentalizou uma política de Estado para atender finalidades eleitoreiras quem não quer.

Outro gol marcado pelo Tucano: ter lembrado a candidata que o senhor Armínio Fraga era muitíssimo elogiado pelo ex-ministro Antonio Palocci e que Lula havia solicitado que ele ficasse mais um tempo após a transição de governo. Aliás, ele poderia ter ido mais longe e lembrado que quem acalmou o mercado internacional quando o PT assumiu o governo há 12 anos foi FHC. A turminha que tem duas mãos esquerdas pode bater o pezinho e ficar bravinho, mas, se esfriarem o cocuruto e lerem o livro “18 dias”, de Matias Spektor, compreenderão todo o trabalho que foi realizado nesse sentido naqueles idos. Trocando por miúdos: mais uma arapuca desarmada, onde as bravatas petistas foram rebatidas com fatos e documentos.

E falando-se em documentos, Aécio, durante o debate, comunicou a todos que sua equipe publicou as contas aprovadas de seu governo do Estado de Minas Gerais em seu site. Basta acessar para constatar que, de fato, a candidata estava e está agindo de maneira leviana e mentirosa. Que feio.

Por fim, confesso que não sou um entusiasta tucano, não mesmo. Mas o neto de Tancredo é o que temos para fazer frente às falanges petistas. É o que temos para evitar que o Brasil, e a América Latina, recuperarem o que os comunistas perderam no Leste Europeu. Essa é a meta do Foro de São Paulo. Se o amigo leitor não sabe o que é o famigerado Foro, por favor, leia o livro “O Eixo do Mal Latino-Americano” de Heitor de Paola. Se quiser entender a instrumentalização petista do Estado brasileiro, a leitura do livro “A revolução gramscista no Ocidente” de Sérgio Coutinho é indispensável.

E, é claro, assista a gravação do debate transmitido pela BAND que está disponível no youtube. Informe-se e procure entender a dramática situação brasileira sem embebedar-se com as paixões do momento. Compreenda que o Brasil é maior que o mesquinho projeto de poder dum partido tentadoramente totalitário. Bem maior.

Blog: http://zanela.blogspot.com
e-mail: dartagnanzanela@gmail.com 

Comentários