TRÊS PONTOS E UM PUNHADO DE PALAVRAS

Escrevinhação n. 1098, redigida entre os dias 18 de fevereiro de 2014, dia de Santa Bernadete Soubirous, do Beato João de Fiésole (Fra Angélico) e de São Teotónio, e 24 de fevereiro de 2014, dia de São Sérgio e São Lázaro.

Por Dartagnan da Silva Zanela


1. 
Numa bela passagem duma de suas homilias, Bento XVI, nos convida para refletirmos sobre nossa condição humana diante de Deus. Diz-nos ele que: “[...] penso que a esmagadora maioria dos homens tem o mesmo conceito de vida do filho pródigo. Ele pediu a parte de patrimônio que lhe cabia, e agora sentia-se livre, queria finalmente viver já sem o peso dos afazeres de casa, queria simplesmente viver. Receber da vida tudo o que ela pode oferecer. Gozá-la plenamente, viver, só viver, beber na abundância da vida e nada perder daquilo que de precioso ela pode oferecer. No final, acabou por se tornar guardião de porcos e chegou mesmo a invejar aqueles animais tão vazia se tinha tornado esta sua vida, tão inútil! E vã revelava-se inclusive a sua liberdade. Porventura não acontece também assim nos nossos dias?” Porventura não acontece assim também conosco em nossa vida?

2. 
Verdades óbvias, em regra, são ouvidas com um escárnio que, por sua deixa, é mais do que previsível. Dum modo geral cultivamos um amor desmedido por nossas opiniões, tratando-as como se elas fossem alguma espécie de verdade universal inconteste, mesmo que nunca tenhamos dedicado a elas a mesma energia que despendemos em nossas manifestações histéricas de indignação.

Por isso, julgo precioso o conselho que nos é dado por São Josémaria Escrivá que, em seu livro “O Caminho”, lembra-nos que devemos ficar tranqüilos. Isso mesmo! “Fica tranqüilo se exprimiste uma opinião ortodoxa, ainda que a malícia de quem te escutou o leve a escandalizar-se. - Porque o seu escândalo é farisaico".

3. 
"Não compreendo que te digas cristão e tenhas essa vida de preguiçoso inútil. - Será que esqueces a vida de trabalho de Cristo?" Assim nos admoesta São José Maria Escrivá. Aliás, onde é que você leu na Sagrada Escritura que o mundo iria nos amar e nos aplaudir por nos esforçarmos em seguir e viver os ensinamentos do Verbo divino Encarnado? Onde? Em nenhum momento o Cristo nos diz que nossa vida seria moleza.

Que eu saiba, Ele nos disse que nos enviaria para caminharmos por entre os lobos. Que o mundo nos detestaria da mesma forma que detestou e negou o Filho do Homem. Mas, é claro que nós, homenzinhos moderninhos sabemos mais sobre os desígnios de Deus do que Ele manifestou em Seu pio testamento, não é mesmo?

Por isso mesmo que, São Josémaria Escrivá também nos lembra que todos os pecados parecem que estão “[...] à espera do primeiro momento de ócio. O próprio ócio já deve ser um pecado!” Ócio este que nos entregamos com tanta freqüência em nome das mais pérfidas justificativas.

Pax et bonum
Blog: http://zanela.blogspot.com
e-mail: dartagnanzanela@gmail.com 

Comentários