O MAQUIAVALISMO RUBRO

Escrevinhação n. 1088, redigida no dia 28 de janeiro de 2014, dia de Santo Tomás de Aquino.

Por Dartagnan da Silva Zanela


Dum modo geral, os partidos em nosso país, nas palavras de Oliveira Vianna, são clãs políticos que arregimentam interesses grupais (e familiares) em torno de figuras oligárquicas formando uma agremiação de mesquinharias ou, simplesmente, sistematizando a bandalheira, como diria Euclides da Cunha.

Todavia, esse não é o único modelo partidário atuante em nosso país, nem mesmo o mais perverso. Muitos são os teóricos do assunto, porém, um dos que muito escreveu sobre o tema foi Lênin. Tanto escreveu e agiu que muito influenciou. Mas o que esse homem nos diz a respeito da organização e das funções duma agremiação partidária marxista?

Uma das tarefas fundamentais do partido são a agitação e a propaganda. Tais tarefas, de curto e longo prazo, devem ser fixadas por critérios de flexibilidade e eficácia, pois a revolução (não só a tomada do poder) não nasce pronta e acabada. Para tanto o partido deve agir aberta e/ou clandestinamente, realizando as combinações que o favoreça neste propósito.

O mesmo também lembra que se deve aproveitar as condições objetivas existentes no intento de criar as condições necessárias para se obter o poder e implantar o Estado revolucionário. Ou seja: através duma eficaz maquinaria Estatal, instrumentalizada pelo partido e pelas organizações ligadas a ele, deve-se promover a transição do quadro presente para um regime totalitário, reajustando as condições objetivas em todas as estruturas, sejam elas econômicas, sociais, culturais e políticas.

Trocando por miúdos: tudo é válido em nome da revolução. Em seu livro “Esquerdismo – a doença infantil do comunismo”, Lênin diz que é preciso estar disposto a todos os sacrifícios, empregar todos os estratagemas, ardis e processos ilegais, silenciar e ocultar a verdade para realizar um trabalho comunista.

Todas essas orientações da lavra do velho bolchevique ajudam-nos a compreender porque os mensaleiros, juntamente com seus partidários e “simpatizantes”, sentem-se vitimados. Eles acreditam candidamente que estavam apenas procurando criar as condições necessárias a partir das condições objetivas para realizar as metas de longo prazo ditadas por sua ideologia.

Metas que continuam vigentes e sendo galgadas por todos aqueles que são devotos desta ideologia mundana. A prisão desses indivíduos significa apenas uma nova circunstância em que se adaptarão para continuarem na realização com seu projeto de poder que é bem mais amplo que um esquema de corrupção.

Por isso, abra olhos, navegante, que o mar é tenebroso.

Pax et bonum
Blog: http://zanela.blogspot.com
e-mail: dartagnanzanela@gmail.com

Comentários