QUASE UM SONETO n. 05

Para Dilvana da Silva Caldas, a musa de meus versos.

Por Dartagnan da Silva Zanela,
em 04 de novemvro de 2013.

A morena sorri, singela e menina,
Fitando-me com seu olhar maturo,
Iluminado com amendoada alegria,
Que brota de seu coração desnudo.

A menina sorri, de maneira singela,
Ao lado do poeta de barba grisalha,
Tendo entre os corpos, uma vela,
Que alumia a alegra a velha casa.

As mãos bailam ritmadas no furor
Dor corpos que ardem, lentamente,
Na medida desmedida do despudor,

Que destoa os sentidos e a mente,
Ao entregarem-se desnudos, ao amor,
Que ladeados estarão, hoje e sempre.

Comentários