Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2012

Comentário Radiofônico de 28 de fevereiro de 2012

Comentário realizado por Dartagnan da Silva Zanela para o programa CONVERSA AO PÉ DO RÁDIO, transmitido pela rádio Cultura AM/FM de Guarapuava.

PARA NÃO DIZER QUE EU NÃO FALEI DAS CINZAS

Escrevinhação n. 935, redigido em 26 de fevereiro de 2012, dia de Santa Paula M. Fornés de São José de Calazans, de São Porfírio de Gaza e de Santo Alexandre do Egito.
Por Dartagnan da Silva Zanela

Convertamo-nos e creiamos no Evangelho. Com um amém dito à essas palavras muitos Cristãos iniciam o tempo Quaresmal. Significativas palavras que apenas ganham plenitude na alma quando elas nos transfiguram.
Conversão, meu caro, não é transformação. Muito menos evolução, progresso ou revolução. É renovação. Renovar nosso viver para podermos ser laureados com a vida eterna. Para que isso ocorra é fundamental que atendamos as palavras de Nosso Senhor que nos diz (João XVII; 03) que devemos conhecer ao Pai, verdadeiro e único Deus, e a Jesus Cristo seu enviado.
Muito bem, mas como podemos conhecer ao Pai e bem como aceitar o Caminho que nos é apresentado pela Verdade que vivifica, se desdenhamos o que há em nosso coração? Pois é, mas este algo que desdenhamos move-nos a agir. E essas ações tornam-s…

Comentário Radiofônico de 27 de fevereiro de 2012

Comentário realizado por Dartagnan da Silva Zanela para o programa CONVERSA AO PÉ DO RÁDIO, transmitido pela rádio Cultura AM/FM de Guarapuava.

Os Dez Mandamentos do Mundo

Segundo S. Luís Maria Grignion de Montfort
Estes são os Mandamentos do Mundo e seu Verdadeiro Significado
1º. Conhecer o mundo, isto é, estar a par das finezas amaneiradas do século e demonstrar esse conhecimento.

2º. Viver honestamente, isto é, contentar-se com aparências de honestidade.

3º. Realizar seus negócios, isto é, tomar o dinheiro por fim último da vida, sem o deixar transparecer.

4º. Conservar o que é seu, isto é, ignorar a caridade, sob pretexto de direito de propriedade, interesses de família, negócios, etc.

5º. Adiantar na vida, isto é, ter ambições, ousadias, conseguir sem mérito pessoal nenhum.

6º. Fazer amigos, isto é, não desdenhar relações de nenhuma espécie, ainda à custa da consciência, para obter os desejosos fins.

7º. Frequentar altas rodas, andar atrás das pessoas eminentes ou em evidência, a fim de brilhar ao menos com a auréola dos outros.

8º. Viver confortavelmente, isto é, ter boa mesa, com pretexto de conservar a saúde, manter as relações sociais, tratar de…

Comentário Radiofônico de 24 de fevereiro de 2012

Comentário realizado por Dartagnan da Silva Zanela para o programa CONVERSA AO PÉ DO RÁDIO, transmitido pela rádio Cultura AM/FM de Guarapuava.

A pedagogia do meretrício

Por José Maria e Silva
Polemista corajoso, dono de uma corrosiva ironia, o jornalista e escritor Benjamin Costallat (1897-1961) foi um dos mais apreciados cronistas de seu tempo, retratando a sociedade carioca com uma visão quase futurista, que, já nos anos 20, o fazia perceber a favela como uma “cidade dentro da cidade”, chamando a atenção para o apartheid carioca que continua a dar trabalho ao país. Em uma de suas crônicas, intitulada “Ins­trução?” e publicada no Jornal do Brasil em 3 de março de 1927, Costallat chama a atenção para o ensino público da então Capital Federal.
Como sugere a interrogação do título, tratava-se de uma crítica à “instrução pública”, como era chamado, na época, o emergente ensino público no país, em luta com a hegemonia católica na educação. Ainda faltavam cinco anos para que sociólogo Fernando Azevedo (1894-1974) liderasse o Manifesto da Escola Nova, que defendia a educação laica, com mais investimento na instrução pública. Em seu artigo, Benjamin Costallat…

Comentário Radiofônico de 23 de fevereiro de 2012

Comentário realizado por Dartagnan da Silva Zanela para o programa CONVERSA AO PÉ DO RÁDIO, transmitido pela rádio Cultura AM/FM de Guarapuava.

LENDO JORNAIS SEM AGRILHOAR-SE A ELES

Escrevinhação n. 934, redigido em 08 de fevereiro de 2012, dia de São Jerônimo Emiliano e Santa Josefina Bakhita.
Por Dartagnan da Silva Zanela
Uma das sensações mais terrificantes que existe na atualidade é a de que estamos, supostamente, informados sobre tudo o que está ocorrendo sem nada entender do que está se passando. Ficamos, diariamente, antenados com os telejornais da manhã, da tarde e, porque não, com os das últimas horas da noite. Isso sem falar na assinatura de revistas semanais e de jornais diários. Tudo isso para nos manter informados sobre tudo e continuarmos sorumbaticamente sem compreender nada. Porém, fingido tudo saber.
Aliás, se nos permitirmos, por um instante que seja, sair deste vicioso círculo noticioso, iremos perceber que todo noticiário que se faz presente estrutura-se de modo similar a uma novela. De uma novela chula. Por isso, se estivermos dispostos, podemos fazer uma experiência. Tome uma folha em mãos e divida ela em colunas (para os telejornais) e linhas …

Comentário Radiofônico de 22 de fevereiro de 2012

Comentário realizado por Dartagnan da Silva Zanela para o programa CONVERSA AO PÉ DO RÁDIO, transmitido pela rádio Cultura AM/FM de Guarapuava.

Parresía: Teólogos da corte

Imagem
Por Padre Paulo Ricardo
Quando foi que a Igreja Católica deixou de ser, no Brasil, a instância profética que questiona? Em que momento ela foi seduzida e tornou-se uma Igreja composta por teólogos da corte — aqueles que compõe o séquito do novo Príncipe, o Partido dos Trabalhadores? Quando foi que ela deixou de ser defender a fé católica e passou a aceitar e a justificar as atitudes do Príncipe? Para onde foi a Igreja Católica do Brasil?
O católico verdadeiro não pode apoiar um governo que não tem ética cristã, que não tem o pudor de promover todo tipo de imoralidade que visa destruir a família, a moral cristã e a herança patrimonial cristã sobre a qual foi construída a nação brasileira. Os teólogos da corte que não temem mais o juízo de Deus, pois deixaram de crer há muito tempo, mas devem temer o julgamento da História, esta sim, irá julgá-las com severidade e, quiçá, condená-los. Afinal, eles buscam retirar do mundo a transcendência.
O único sentimento que o silêncio vil e a covardia …

Aparelhos do Estado paralelo

por José Maria e Silva
A corrupção tem sido uma constante na história do Brasil. Desde as capitanias here­ditárias que a promiscuidade entre público e privado vem marcando a vida nacional. Entretanto, como não poderia deixar de ser, as formas da corrupção se transformam com o tempo, acompanhando as mudanças dos costumes e a evolução tecnológica. E uma das novas formas de desvio de dinheiro público já não se dá nas frinchas e, sim, nas franjas da máquina estatal. Ou seja, naquela nebulosa social a que se dá o nome de “organizações não governamentais”.
Prova disso é o verdadeiro caso de polícia em que se tornou o Ministério do Esporte. Cerca de três anos antes das atuais denúncias da “Veja” (que devem custar o cargo do ministro Orlando Silva), a própria revista já havia levantado suspeitas de desvio de recursos no Ministério dos Esportes. E, há oito meses, o jornal “O Estado de S. Paulo” fez uma reportagem investigativa sobre irregularidades na pasta de Orlando Silva, apresentando fortes…

A POLÍCIA INDEFESA

Por Luiz Felipe Pondé para Folha de São Paulo
A POLÍCIA é uma das classes que sofrem maior injustiça por parte da sociedade. Lançamos sobre ela a suspeita de ser um parente próximo dos bandidos. Isso é tão errado quanto julgar negros inferiores pela cor ou gays doentes pela sua orientação sexual.
Não, não estou negando todo tipo de mazela que afeta a polícia nem fazendo apologia da repressão como pensará o caro inteligentinho de plantão. Aliás, proponho que hoje ele vá brincar no parque, leve preferivelmente um livro do fanático Foucault para a caixa de areia.
Partilho do mal-estar típico quando na presença de policiais devido ao monopólio legítimo da violência que eles possuem. Um sentimento de opressão marca nossa relação com a polícia. Mas aqui devemos ir além do senso comum.
Acompanhamos a agonia da Bahia e sua greve da Polícia Militar, que corre o risco de se alastrar por outros Estados. Sem dúvida, o governador da Bahia tem razão ao dizer que a liderança do movimento se excedeu. A p…

Comentário Radiofônico de 17 de fevereiro de 2012

Comentário realizado por Dartagnan da Silva Zanela para o programa CONVERSA AO PÉ DO RÁDIO, transmitido pela rádio Cultura AM/FM de Guarapuava.


Entrevista - Otto Maria Carpeaux (junho de 1976)

Entrevista conduzida por Sebastião Uchoa Leite (SUL) e Luiz Costa Lima (LCL), publicada no revista “José” (RJ), nº 1, junho de 1976, de onde foi extraída.
* * *

Veio da Áustria em 1939, fugido da bota nazista que invadia a terra de Mozart. Seus conhecimentos enciclopédicos sobre literatura, artes, filosofia, política abriram-lhe as portas das letras e do jornalismo brasileiro, destacando-se neste pela sua atuação vigorosa como cronista político. Hoje, 37 anos depois da sua chegada, só não dizemos que é um monumento porque ele os detesta. Acompanhado por D. Helena, Carpeaux nos faz entrar, a seus dois ex-companheiros de jornadas enciclopédicas, no apartamento simples e despojado como os seus habitantes. Vamos tentar arrancar um pouco do que ele pensa da literatura e outras coisas. [continue lendo]

Entrevista - Otto Maria Carpeaux (28/05/1949)

Entrevista conduzida por Homero Senna e publicada na Revista do Globo, nº 483, de 28/05/1949 e republicada em seu livro Republica das letras. 3ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1996.
Apresentação:

O aparecimento, há alguns anos, de Otto Maria Carpeaux no jornalismo carioca despertou viva curiosidade. Apresentado em grande estilo, por Álvaro Lins, num rodapé do Correio da Manhã, como um scholar que muita coisa nos poderia ensinar e que, apesar de sua recente mudança para o Brasil, já estava quase em condições de escrever seus artigos diretamente em português, todo mundo quis ler e conhecer o ensaísta austríaco que escolhera o Brasil para exilar-se, depois dos tristes acontecimentos que se desenrolam em sua pátria.
E - como quase sempre acontece - não demorou que, a propósito do novo crítico, que a anexação da Áustria à Alemanha fez emigrar para o Brasil, se formassem correntes distintas. Seus artigos passaram a ser lidos então com maior interesse ainda, tanto pelos fãs como …

Comentário Radiofônico de 16 de fevereiro de 2012

Comentário realizado por Dartagnan da Silva Zanela para o programa CONVERSA AO PÉ DO RÁDIO, transmitido pela rádio Cultura AM/FM de Guarapuava.


Comentário Radiofônico de 15 de fevereiro de 2012

Comentário realizado por Dartagnan da Silva Zanela para o programa CONVERSA AO PÉ DO RÁDIO, transmitido pela rádio Cultura AM/FM.

FORJADOS PELAS MÃOS DE CRONOS

Escrevinhação n. 933, redigido em 06 de fevereiro de 2012, dia de São Paulo Miki e companheiros, de São Gastão, de Santa Dorotéia e dos Bem-aventurados Afonso Maria Fusco e Francisco Spinelli.
Por Dartagnan da Silva Zanela
Somos o uso que fazemos do tempo. Ponto. Discursos pomposos entoados para disfarçar o seu mau uso, não passam de autopiedade disfarçada e todas essas plumas e paetês retóricos, quando confrontados com os usos e abusos feitos revelam toda a sordidez hipócrita que há em nós.
De longa data, Gabriel Tarde, grande sociólogo contemporâneo de Durkheim, nos chama a atenção para a tônica das conversas cotidianas que, em regra, são permeadas por assuntos presentes nos ofícios dos interlocutores e, quando esses referiam-se a outros temas, sempre o fazem analogamente às lides de seu trabalho, reduzindo a complexidade da realidade a pequenez de suas vidas cotidianas como se o mundo devesse ser tão pacóvio quanto a sua estulta compreensão.
Esse fenômeno, de reduzir a complexidade d…

Comentário Radiofônico de 14 de fevereiro de 2012

Comentário realizado por Dartagnan da Silva Zanela para o programa CONVERSA AO PÉ DO RÁDIO, transmitido pela rádio Cultura AM/FM.


A civilização do prazer

Por Gustavo Corção
Qualquer pessoa medianamente dotada e ainda não dopada pelo imperativo de um otimismo que é julgado hoje virtude máxima, e máxima lucidez, qualquer pessoa, em suma, que ainda não esteja possessa pelo Sistema, já percebeu que vive dentro de uma decomposição civilizacional cuja característica principal é a de um furioso hedonismo. Todos querem sentir, o minuto que passa, a golfada de ar que respira, a curva que faz a sessenta ou oitenta quilômetros numa rua movimentada. A fisionomia da juventude em tal clima é curiosamente apática, em contradição com o frenesi das reações, e quase se pode garantir que nunca houve em toda a história do mundo uma humanidade tão destituída de gosto e de prazer. Este paradoxo é aliás a bem conhecida contradição moral do prazer: o primeiro de seus malogros é a perda do prazer. Seria, porém, um engano tirar daí uma conclusão tranqüilizadora firmada na suposição de que tal malogro corrigirá o extraviado. Ao contrário, exaspera-o.
De onde vem e…

Comentário Radiofônico de 13 de fevereiro de 2012

Comentário realizado por Dartagnan da Silva Zanela para o programa CONVERSA AO PÉ DO RÁDIO, transmitido pela rádio Cultura AM/FM de Guarapuava.


Liberdade e Responsabilidade

(Conferência proferida em Madrid, em 22-4-98, como parte do curso, no qual o conhecido filósofo analisou a perspectiva cristã, isto é, o modo como, independentemente da fé, o cristianismo informou a visão de mundo característica do Ocidente. Trad. e edição: L. Jean Lauand)
Julián Marías
Hoje vamos falar de uma questão, ou melhor, de duas questões interligadas importantes: liberdade e responsabilidade.
Há, no caso, um fato interessante: no cristianismo, a palavra liberdade aparece muitas vezes. E, em muitas ocasiões, aparece unida a outra, que é mais freqüente ainda: a palavra verdade. Aletheia, verdade, no texto grego do Novo Testamento, aparece muitas vezes ligada a eleutheria ou a seus derivados. Há, portanto, uma conexão sumamente importante: recordemos aquele texto capital do Evangelho de São João - "a verdade vos fará livres" - em que "verdade" e "liberdade" aparecem juntas de um modo central.
Penso que o problema da liberdade é absolutamente decisivo: n…

Comentário Radiofônico de 10 de fevereiro de 2012

Comentário realizado por Dartagnan da Silva Zanela para o programa CONVERSA AO PÉ DO RÁDIO, transmitido pela rádio Cultura AM/FM de Guarapuava.

A Crise do Simbolismo Religioso

Por Jean Borella
Há mais de trezentos anos, certo pensamento filosófico, no afã de realizar a missão de que, no seu próprio entender, foi investido pela ciência, guerreia contra a alma religiosa da humanidade. O lugar próprio e objeto desse combate é o campo do simbolismo sagrado, pois a religião só pode ser compreendida através das formas (sensíveis e intelectuais) que a exprimem e fazem existir culturalmente. Desencadeando esse conflito, a filosofia queria única e simplesmente purificar a razão humana, quer dizer, restituí-la em seu estado natural despojando-a de todas as impurezas acumuladas pela ignorância e pela superstição. Todavia, à medida que se desenvolvia essa vasta crítica da razão religiosa, impunha-se a obrigação, não somente de combatê-la, mas também de explicar seu surgimento na história humana. Erguendo-se contra a religião, a razão não tardaria a perceber que seu inimigo residia em si mesma, no segredo da consciência humana. Ela tentou extirpá-lo, tentativa que, em tr…

Comentário Radiofônico de 09 de fevereiro de 2012

Comentário realizado por Dartagnan da Silva Zanela para o programa CONVERSA AO PÉ DO RÁDIO, transmitido pela rádio Cultura AM/FM de Guarapuava.

Comentário Radiofônico de 08 de fevereiro de 2012

Comentário realizado por Dartagnan da Silva Zanela para o programa CONVERSA AO PÉ DO RÁDIO, transmitido pela rádio Cultura AM/FM de Guarapuava.

ENQUADRAR-SE À REGRA PARA FUGIR À REGRA

Escrevinhação n. 932, redigido em 06 de fevereiro de 2012, dia de São Paulo Miki e companheiros, de São Gastão, de Santa Dorotéia e dos Bem-aventurados Afonso Maria Fusco e Francisco Spinelli.
Por Dartagnan da Silva Zanela
Mas que barbaridade! Outro ano letivo teve início. Fazer o que? Motivo de júbilo para uns, conformidade para outros tantos e, para um montão, um flagelo tartáreo teve início. Mas, é claro que iremos fingir, na medida do possível, que todos estão sedentos por aprender. E fingir, meu caro Watson, na sociedade brasileira, como todos sabemos, é fundamental. Conhecer, nem sempre. Amar o conhecimento, literalmente, dispensável.
Não defendo essa moralidade calhorda. Creio que tal constatação seja um óbvio ululante. Todavia, não podemos fechar os olhos para essa atávica realidade. Não tão só para a sua presença daninha em nossa sociedade, mas também, e principalmente, reconhecermos o quão profundas são suas raízes em nossa alma, que nos corroem entranhas à dentro, tolhendo nos…

Comentário Radiofônico de 07 de fevereiro de 2012

Comentário realizado por Dartagnan da Silva Zanela para o programa CONVERSA AO PÉ DO RÁDIO, transmitido pela rádio Cultura AM/FM de Guarapuava.

A Tensão entre Ordem e Liberdade na Universidade

Por Russel Kirk
As universidades foram fundadas para sustentar a fé pela razão – e para manter a ordem na alma e na sociedade. Minha própria universidade, St. Andrews, foi fundada no século XV pelo Inquisidor Escocês de Corrupção Herética para resistir aos erros dos lollardos [1], os igualitários daquela época. O ensino das primeiras universidades tanto ordem quanto liberdade ao intelecto; e não havia paradoxo algum, pois ordem e liberdade existem necessariamente em uma tensão saudável.
Mas em nossos dias, como em vários tempos passados, muitas universidades perderam qualquer entendimento claro tanto de liberdade, quanto de ordem, intelectualmente falando. Assim sendo, parece justo revisar aqui o relacionamento entre ordem e liberdade, e o papel de uma universidade em manter a tensão entre os dois.
Primeiro, permitam-me algumas observações acerca da conexão entre fé, ordem e liberdade, todas as quais estão entremeadas nos estudos universitários. Em gerações recentes, muitos professores f…

Comentário Radiofônico de 06 de fevereiro de 2012

Comentário realizado por Dartagnan da Silva Zanela para o programa CONVERSA AO PÉ DO RÁDIO, transmitido pela rádio Cultura AM/FM de Guarapuava.

REGRAS DA VIDA CRISTÃ - Sto. Afonso de Ligório

BIG BROTHER BRASIL - UM PROGRAMA IMBECIL

Imagem

Comentário Radiofônico de 03 de fevereiro de 2012

Comentário realizado por Dartagnan da Silva Zanela para o programa CONVERSA AO PÉ DO RÁDIO, transmitido pela rádio Cultura AM/FM de Guarapuava.

Comentário Radiofônico de 02 de fevereiro de 2012

Comentário realizado por Dartagnan da Silva Zanela para o programa CONVERSA AO PÉ DO RÁDIO, transmitido pela rádio Cultura AM/FM de Guarapuava.

O PAÍS DAS LATINHAS

Escrevinhação n. 931, redigido em 31 de janeiro de 2012, dia de São João Bosco, São Pedro Nolasco e de São Francisco Saveiro Maria Bianchi.
Por Dartagnan da Silva Zanela
Monteiro Lobato, esse aquilatado homem que dedicou sua vida às letras e ao Brasil, disse certa feita em entrevista concedida a Celestino Silveira, que nosso país em muito lembra a estorinha da tribo africana que cultuava latinhas. Diz-nos ele que nesta tribo, após a partida de um grupelho de ingleses, ficaram espalhadas pela tribo latas de toda ordem, desde latas de sardinha até algumas de caviar.
Porém, os nativos achavam aquelas latinhas a coisa mais linda do mundo e passara a se ornar com elas. O Chefe usava a maior. Os seus “chagados” meia-dúzia, os guerreiros umas três, o xamã e seus familiares quatro e o restante da tribo nenhuma.
Bem, tais latinhas esvaziadas de conteúdo e de beleza duvidosa seriam equivalentes análogos aos nossos títulos e diplomas. Existem inúmeras latinhas que são cobiçadas em nossa sociedade. N…

Comentário Radiofônico de 01 de fevereiro de 2012

Comentário realizado por Dartagnan da Silva Zanela para o programa CONVERSA AO PÉ DO RÁDIO, transmitido pela rádio Cultura AM/FM de Guarapuava.